COMPARTILHAR

Este número da revista Correio Internacional é dedicado à explosiva situação política, econômica e social da Venezuela e à profunda decadência do movimento político criado por Hugo Chávez, o chavismo, no seu país de origem e em sua influência mundial.

O falecido Hugo Chávez foi, sem dúvida, uma das figuras mais importantes e influentes da política do século XXI. Na Venezuela, transformou-se no grande dirigente dos trabalhadores e das massas. A partir do processo que encabeçou em seu país desde 1999, numerosas organizações de esquerda, assim como milhões de trabalhadores e milhares de lutadores no mundo inteiro fizeram parte de um “movimento chavista” internacional, embora este nunca tenha tido uma unidade organizativa formal. Na prática, chegou a ser a principal corrente da esquerda mundial no início do século XXI.

Hoje, o chavismo vive uma crise profunda na Venezuela (ver os artigos desta revista escritos neste país) e sua influência internacional diminui rapidamente. É certo que a morte de Chávez (março de 2013) e a posse de Nicolás Maduro aceleraram o processo, mas este já havia se iniciado durante o período final do próprio governo Chávez.

Pelo peso político que o chavismo teve (e que parcialmente mantém), é evidente que é necessário um balanço profundo deste processo. Esse é objetivo deste número.