COMPARTILHAR

3.200 trabalhadores sofrem as consequências. No contexto de uma economia quase paralisada em nosso país – em que os empresários e analistas argumentam que a situação é crítica e que estamos passando por uma recessão verificada, entre outras coisas, numa queda significativa do consumo – foram registrados nos últimos meses uma série de casos de empresas que solicitaram a paralisação temporária de suas atividades por diferentes razões.

Por: PT-Paraguai

A situação é realmente preocupante. De acordo com o Ministério do Trabalho nos últimos sete meses, 16 empresas ligadas à agricultura, maquiladoras e indústrias têxteis apresentaram pedido de suspensão das atividades. Isso afeta mais de 3.200 trabalhadores, que não recebem seus salários durante a suspensão do trabalho, seja ele total ou parcial.

Empresários e governo descarregam suas crises sobre os trabalhadores

A tese defendida pelos empresários têxteis é que esta situação de recessão se deve à crise econômica que afeta a Argentina e o Brasil e que afeta seriamente nosso país. Entre as empresas têxteis que foram afetados estão McGregor e Manufactura Pilar (referência importante no setor industrial no Paraguai).

É comum, em situações como esta, quando os empresários percebem que vai reduzir os seus lucros, seu primeiro pensamento é reduzir custos, independentemente do destino dos seus trabalhadores e iniciam gestões para parar de pagar salários. As consequências dessa política empresarial são catastróficas para os trabalhadores, porque de um dia para outro ficam sem sustento para suas famílias.

O Partido dos Trabalhadores defende que são as empresas que devem assumir a responsabilidade social de garantir o pagamento de salários aos trabalhadores quando eles são obrigados a fechar temporariamente. Esses empresários, que se tornaram milionários com o sacrifício e a exploração dos trabalhadores, cegos pela sede de lucro e com a lógica do capitalista explorador, afirmam que a crise temporária de suas empresas, deve ser resolvida pelos trabalhadores deixando de receber os seus salários.

Leia também:  Carta aberta de um paraguaio para a classe trabalhadora brasileira sobre Itaipu

Mostrem seus livros contábeis!

A todos os empresários que cantam misérias e recorrem ao Ministério do Trabalho solicitando o encerramento de suas atividades para legalizar o saque aos seus trabalhadores, nós dizemos para mostrar sua contabilidade aos seus trabalhadores, divulgando os milhões e milhões que ganharam nos anos anteriores.

Nós não acreditamos, em absoluto, que uma fábrica como Manufactura Pilar que vem produzindo uma média de 20.000.000 de metros quadrados de tecidos, assim como 400.000 unidades de vestuário ao ano e que declarava que faturava uma média de 27.000.000 de dólares por ano, não tenha como pagar o salário de um mês aos seus trabalhadores.

Na atualidade encontra-se no parlamento um projeto de lei apresentado pelo Deputado Silva que argumenta que o estado deve assumir o salário de um mês de 600 trabalhadores da Manufactura Pilar. Dada a grave situação que está sendo experimentada pelos trabalhadores, consideramos que esta lei deve ser aprovada com urgência, no entanto, a solução deste problema é de natureza mais estrutural e são os empresários que devem ser responsáveis por garantir o pagamento de salários e a segurança social para seus trabalhadores.

O Partido dos Trabalhadores se solidariza plenamente com os trabalhadores da Manufactura Pilar e das outras empresas afetadas pelos fechamentos e nos colocamos, desde já, em apoio à luta.

Por que uma legislação que obrigue a que as empresas tenham um plano de contingência para garantir plenamente o pagamento de salários em situação de fechamento!

-Que os empresários paguem por suas crises e não as joguem nas costas dos trabalhadores!

-Pela abertura dos livros contábeis aos trabalhadores para verificar a situação das empresas!

Tradução: Lena Souza