Apresentamos a nova edição da revista Correio Internacional.

Novamente a região do Oriente Médio é um barril de pólvora. Por um lado, o novo e sanguinário ataque de Israel à Faixa de Gaza e a todo o povo palestino. Por outro, a divisão do Iraque em vários estados, com duros confrontos entre as diferentes frações e, nesse contexto, o avanço da organização islâmica fundamentalista ISIS, que domina uma das regiões.

A gênese dessa situação explosiva está na polarização gerada pelas contraofensivas de diferentes setores (Israel, o presidente egípcio al-Sisi, a organização ISIS etc.) para frear e derrotar o processo de luta dos povos árabes e a resistência das massas a esses ataques.


Por isso, grande parte desta edição da Correio Internacional está dedicada a esses conflitos. Em primeiro lugar, à situação em Palestina-Israel. Em vários artigos, buscamos enfocar os diversos ângulos da realidade: as razões específicas desse ataque; a origem e o caráter do Estado de Israel como enclave militar do imperialismo no Oriente Médio e como gerador do conflito; a situação das direções palestinas; a resistência deste povo que está sendo apagado do mapa; e, finalmente, uma análise de por que reivindicamos e levantamos a proposta de uma Palestina única, laica, democrática e não racista, bandeira fundadora da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) em 1969.

Sobre o Iraque, analisamos como a derrota dos Estados Unidos (e, com ela, a do projeto do “século americano” do ex-presidente Bush) deixou aquele país em uma situação de extrema fragilidade e com suas contradições étnicas, religiosas e sociais sendo resolvidas na ponta de fuzil e de canhão. Vemos também a incidência das disputas pelo controle do petróleo nesse processo. Além disso, explicamos porque consideramos “reacionário” o avanço do ISIS e a construção do seu “califado” (que também abarca regiões da Síria). Finalmente, damos nosso apoio à luta do povo curdo (a maior nacionalidade do mundo sem Estado próprio, hoje dividido entre quatro países que os oprimem) e reivindicamos o seu direito a construir um Estado independente.

 Dedicamos também uma seção da revista ao Brasil, à sua situação política, econômica e social depois da realização da Copa do Mundo. Nessa seção, destacamos o crescimento da influência do PSTU como organização de vanguarda, sua participação nas lutas e suas propostas políticas e programáticas, expressadas agora na campanha eleitoral que tem como candidato a presidente o dirigente metalúrgico José Maria de Almeida.

Finalmente, apresentamos uma parte da vida e da história da LIT-QI. Nela, incluímos um artigo dedicado aos 40 anos de existência do PST peruano, que expressa um dos trabalhos mais antigos da corrente morenista. Também publicamos uma nota sobre a integração da LPS de Senegal à nossa Internacional, que incorpora, assim, sua primeira organização africana. Além disso, apresentamos o livro que recompila os principais documentos e resoluções do XI Congresso Mundial da LIT-QI.