COMPARTILHAR

Na Franca, o governo do ultraconservador de Nicolas Sarkozy tenta aprovar uma reforma que retira direitos dos trabalhadores publicos. No ultimo dia 18, milhares de trabalhadores, principalmente do transporte, cruzaram os bracos e foram as ruas contra os ataques do governo frances.

O governo de Sarkozy quer acabar com o regime especial de Previdencia de setores do servico publico. O governo pretende elevar o tempo de contribuicao e a idade minima dos trabalhadores publicos, entre outras medidas, igualando as regras de aposentadoria aos funcionarios da iniciativa privada. Sarkozy tenta ampliar o tempo de contribuicao para a aposentadoria integral dos atuais 37 anos para 40.

A paralisacao atingiu a SNFC, companhia de trens, a companhia de transportes urbanos, RATP, a de eletricidade, EDF e a GDF, companhia de gas. Funcionarios dos Correios e de comunicacoes, como as radios RFI e France Info tambem pararam. Ao todo, as medidas da reforma atingem mais de 1,6 milhao de trabalhadores.

A greve levou o caos a Franca, parando o pais durante todo o dia. Alem disso, grandes mobilizacoes sacudiram o pais. Em todo o territorio frances, mais de 300 mil sairam as ruas protestar contra o ataque.

Mobilizacao continua


Apesar da politica do governo de dividir o movimento e da posicao da direcao da maior central do pais, Central Geral dos Trabalhadores (CGT), de encerrar a paralisacao, alguns sindicatos mantiveram a greve no dia 19. Os trabalhadores publicos denunciam a reforma de Sarkozy como um primeiro passo para mais um ataque geral contra a aposentadoria e os direitos trabalhistas na Franca.