COMPARTILHAR

Companheiros da Coordenação do CONATO (Conselho Nacional de Trabalhadores Organizados):


 


É evidente que a situação econômica social da classe trabalhadora panamenha se agrava, exemplo disto é o aumento do custo da cesta básica familiar, a perda do poder aquisitivo por parte dos assalariados, o aumento da criminalidade e da violência. Para ninguém é segredo que existem ameaças concretas de aumento dos preços em produtos alimentícios, passagens, impostos, energia elétrica; reformar a lei orgânica da CSS[1] e outras medidas que, como vocês sabem, tem o propósito de firmar as políticas neoliberais do atual governo.


 


Já não há dúvidas, que o setor empresarial conseguiu altos índices de acumulação de riquezas, obtendo lucros que, no meio da pobreza e miséria que sofrem amplas camadas da nossa população, se convertem em uma grosseria que dilacera a dignidade humana e coloca em evidência a desigualdade do sistema capitalista. Há continuar este estado de coisas, se acirrará a luta de classes sem que nós – a classe trabalhadora – tenhamos alguma possibilidade de sair vencedores pela falta de unidade, pela falta de um plano geral de lutas que reivindique nosso direto a uma vida digna e a receber parte das riquezas que são produzidas nesta nação.


 


Neste sentido, é nossa responsabilidade fazer-lhes, uma vez mais, um chamado público e de forma respeitosa, para que vocês joguem o jogo que lhes corresponde: orientar a classe trabalhadora, promover sua unidade, organização e defender seus interesses. Este último, não tem sido feito, pelo contrário, têm sido reiteradas as práticas do sindicalismo amarelo[2]; estão implementando políticas de colaboração de classes para proveito dos empresários e, utilizado algumas organizações sindicais e agremiações para apoiar os partidos políticos dos empresários.


 


Consideramos que esta situação tem que ter um fim. A classe trabalhadora panamenha necessita sair à luta de forma unitária. Para tal efeito, estamos propondo que o CONATO convoque um Conselho Nacional ampliado de delegados sindicais (com a participação de todos os setores do movimento popular) para discutir e aprovar os seguintes pontos:


 


1.      Um plano de reorganização e fortalecimento sindical no marco de um chamado à Greve Nacional pelo aumento dos salários e redução, com posterior congelamento, dos artigos de primeira necessidade;


2.      O CONATO deve propor um processo de renovação estratégica. Voltar às raízes éticas do movimento sindical e estabelecer um caminho que leve a classe trabalhadora a melhores perspectivas econômico-social;


3.      No processo de renovação, o CONATO deve restabelecer os princípios e os valores que lhe deram vida e sentido ao movimento sindical: a independência de classe, as perspectivas socialistas, a unidade e solidariedade da classe trabalhadora;


4.      O CONATO deve propor aos trabalhadores panamenhos e ao conjunto do povo: A CONSTRUÇÃO DO INSTRUMENTO POLÍTICO DA CLASSE TRABALHADORA para acabar com o monopólio político dos empresários no controle do Estado.


 


ü       Chega de cumplicidade com os empresários por propinas e benefícios pessoais!


ü       Pela independência de classe do movimento operário panamenho!


ü       Greve Geral: Pelo aumento geral de salários e a redução dos preços dos artigos de primeira necessidade!


 


17 de Novembro de 2009


Comitê Executivo LTS (Liga de Trabalhadores ao Socialismo)


Gerardo González


Nidia Medina


Ismael Hurtado






[1] NT: Caixa de Seguro Social;



[2] NT: Expressão originária do sindicalismo praticado pelos sindicatos constituídos no século XIX na França e na Alemanha. Geralmente financiados pelos patrões com o objetivo de, pela divisão os trabalhadores, defender seus próprios interesses e não os da classe trabalhadora. São contrários à greve e adotam posição conciliadora. A denominação de “amarelos” (ou Krumiros) decorre da fama de fura-greves que tinham os orientais no século XIX na França.