COMPARTILHAR

A Cidade de Ferro e Fogo envia um trem revolucionário

 Por: Martin Ralph, da Inglaterra

Eu dizia no último diário[1] que as ferrovias não funcionavam mais sob o regime anterior liderado por Omar Al-Bashir. Isso era verdade, mas uma revolução pode reviver e organizar muitas coisas que as massas precisam e querem.

23 de abril

As milícias do NISS (Serviço Nacional de Inteligência e Segurança) tentaram romper a ocupação hoje, mas o povo organizou bloqueios nas principais ruas de acesso com carros e as tropas do NISS não conseguiram chegar à a ocupação.

Trabalhadores da companhia ferroviária, embora sucateada, transportaram manifestantes de Atbara (onde a insurreição começou em dezembro de 2018) para se juntar à ocupação do QG do Exército, uma distância de 350 km.

Atbara é conhecida como a “Cidade do Ferro e do Fogo” e foi o local de nascimento da atual revolução em dezembro de 2018. Tornou-se o centro da rede ferroviária sudanesa, a melhor da África e um importante centro industrial. A atividade operária criou um forte sindicato na década de 1940, mas quatro décadas depois, sob a ditadura de Numeiry, as ferrovias foram separadas e descentralizadas na tentativa de esmagar as greves dos trabalhadores.

Esta viagem de 23 de abril é a mesma que foi feita em abril de 1985, que se seguiu ao fim do governo de Jafar Al Numeiry.

Relatos da mídia dizem que al-Bashir está atualmente em confinamento solitário e dois de seus irmãos foram presos junto com altos aliados do antigo partido no poder. Os militares relataram ter encontrado enormes somas de dinheiro na casa de al-Bashir e disseram que estava em curso uma investigação sobre os fundos.

Não é para os militares decidirem, é para eles se afastarem e entregarem o controle a um governo civil criado pelas organizações da revolução. Todo o poder para aqueles que dirigem a revolução.

Parece um número incrível, mas a empresa de telecomunicações Zain estimou que hoje havia 12 milhões de pessoas nas ocupações do QG do Exército, a partir das imagens das mídias sociais. A população do Sudão é de 42,5 milhões de pessoas (com base nas estimativas da ONU).

24 de abril: A revolução continua.

[1] https://litci.org/pt/mundo/africa/sudao/sudao-diario-de-uma-revolucao/

Tradução: Marcos Margarido