COMPARTILHAR

No meio de uma grande movimentação policial que foi transmitida ao vivo pela televisão argentina-TN, e sem notificar o advogado de defesa Pablo Ghirardo, o companheiro Sebastián Romero foi extraditado ontem.

Por: IST-Uruguai

Essa operação excessiva e repudiável foi difundida pelo Ministério do Interior de nosso país, onde mostrava um comando de dezenas de policiais militares rodeando Sebastián no aeroporto de Carrasco. Essa operação faz parte da intimidação e da campanha patronal que tenta mostrar a Sebastián, na mídia, como um demônio. Além disso, querem esconder a repressão brutal realizada contra milhares de pessoas que protestaram, sob o governo Macri, contra a Reforma da Previdência Social.

Nesse protesto foi filmado e denunciado como a polícia passava por cima dos aposentados com suas motos, como as forças repressivas atiravam direto na cabeça, fazendo com que vários manifestantes e até um jornalista perdessem a visão. O roubo dos aposentados, os cassetetes e as balas da repressão são hoje deliberadamente ignorados pela patronal e seus meios de comunicação.

Eles apenas repetem um gif, uma imagem que repetem e repetem para construir sua história de caça às bruxas contra lutadores e revolucionários. A realidade é que Sebastián apenas disparou fogos de artifícios amarrados a um bastão, mas aqueles que usam a mão forte contra os trabalhadores o chamam de “morteiro caseiro”.

E enquanto os exploradores sexuais e genocidas da ditadura recebem o maior cuidado, o melhor tratamento e em sua imensa maioria são mantidos em liberdade; um delegado sindical da General Motors, com 12 anos de trabalho, é submetido, difamado e perseguido politicamente por lutar.

As organizações de direitos humanos na Argentina e a Crysol no Uruguai, juntamente com sindicatos, ex-presos políticos e diferentes organizações, se pronunciaram claramente que Sebastián Romero é um lutador social, um perseguido e preso político.

Leia também:  Sebastián Romero: “Eu estava me defendendo com um foguete de venda livre, a polícia estava armada com balas de borracha”

A IST repudia totalmente os fatos ocorridos contra Sebastián Romero: sua perseguição, sua prisão e a intimidação a que está sujeito. Deixamos claro o único objetivo, com isso, é intimidar aqueles que lutam para criminalizar protestos sociais. Ele é perseguido por lutar e por ser um revolucionário socialista.

Em nosso país, graças a várias organizações de direitos humanos, sindicatos, grupos, militantes e partidos políticos, desenvolvemos uma campanha de solidariedade e pelo pedido de libertação imediata de Sebastian. Agradecemos publicamente a todos e pedimos que redobrem seus esforços até que a liberdade do operário Sebastián Romero seja realizada. Também exigimos o encerramento e anulação das causas de todos os presos políticos

LIBERDADE IMEDIATA PARA SEBASTIÁN ROMERO!

Liberdade para todos os presos políticos!