COMPARTILHAR

Já não é possível maquiar a imagem da decadência quando o país vem abaixo aos olhos de todos. O Brasil vive um longo processo de reversão colonial. Sacudido pela crise mundial do capitalismo, o retrocesso está no horizonte.

Por: PSTU Brasil

O governo Bolsonaro-Mourão-Guedes, perante a crise capitalista, está tentando aplicar um projeto pró-Estados Unidos e pró-banqueiros no país, altamente destrutivo e predatório. Quer impor um novo patamar de entrega do Brasil, de guerra social e barbárie aos de baixo.

Para aplicar isso, defende maior violência, que vai aumentar o genocídio e o encarceramento em massa da juventude pobre e negra das periferias. Ele não descarta, inclusive, dar um autogolpe se achar necessário, ou seja, acabar com as liberdades democráticas e instalar uma ditadura.

A agressão contra mulheres, negros, LGBTs, indígenas, quilombolas e camponeses pobres, visa oprimir e dividir a classe trabalhadora.

Neste especial, analisamos a crise capitalista mundial e brasileira. Discutimos o projeto econômico e a natureza do governo Bolsonaro e para onde caminha o Brasil. Apresentamos propostas socialistas para tirar o Brasil da crise. Debatemos que os projetos capitalistas de oposição que prometem reformar o capitalismo, como os do PT e do PSOL, não vão à raiz do problema. Não são solução. Defendemos a necessidade de uma revolução socialista, com a classe operária à frente, para mudar de verdade o país.

Convidamos você à leitura e a ajudar a gente a construir uma alternativa de organização revolucionária.

Leia mais em:

Qual a saída para a crise do Brasil?