COMPARTILHAR

Áudio revela que miliciano continua negociando cargos no Congresso e gerenciando esquema de desvio de salários à família Bolsonaro

Por: PSTU Brasil

Reportagem do jornal O Globo desta quinta-feira, 24, responde à pergunta feita por todo o país “onde está Queiroz”. Mais propriamente, o que anda fazendo Queiroz. E, para a surpresa de 0 pessoas, o miliciano continua tratando dos negócios escusos da família Bolsonaro.

Um áudio que teria sido gravado em junho deste ano revela que Fabrício Queiroz, formalmente exonerado do gabinete de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) no ano passado, continua negociando cargos e gerenciando a “rachadinha”, parte dos salários dos funcionários desviado aos políticos.

“Tem mais de 500 cargos lá, cara, na Câmara, no Senado… Pode indicar para qualquer comissão, alguma coisa, sem vincular a eles em nada. Vinte continho pra gente caía bem pra caralho, caía bem pra caralho. Não precisa vincular a um nome“, afirma Queiroz no áudio revelado.

OUÇA O ÁUDIO

“Pô, cara, o gabinete do Flávio faz fila de deputados e senadores lá, pessoal pra conversar com ele. Faz fila. Porra, é só chegar, meu irmão: ‘Nomeia fulano aí, para trabalhar contigo’. Salariozinho bom desse aí cara, pra gente que é pai de família, porra, cai como uma uva“, diz ainda, na maior cara de pau.

Em resposta ao jornal, Queiroz confirmou que é ainda consultado sobre indicações políticas da família Bolsonaro.

O áudio mostra que o miliciano continua agindo livremente para fazer indicações e gerenciar o esquema da “rachadinha” para a família Bolsonaro. Imagine a grana que representa para o clã Bolsonaro a “rachadinha” de 500 cargos.

Flávio Bolsonaro e Queiroz continuam blindados pelo STF (Supremo Tribunal Federal), cujo presidente Dias Toffoli acatou o pedido do senador e mandou parar as investigações sobre o esquema de corrupção. Agora em outubro, o ministro Gilmar Mendes reafirmou a blindagem, garantindo a impunidade e a continuidade da farra.

Leia também:  Brasil | Retirada de direitos, ataques e genocídio da juventude negra. Veja onde protestar nesta quinta-feira