COMPARTILHAR

Esta sexta-feira, dia de Greve Geral convocada pelas 10 centrais sindicais contra a reforma da Previdência, o corte de verbas na Educação e em defesa dos empregos, foi marcada por paralisações, cortes de estradas e manifestações nos 26 estados e no Distrito Federal.

Por PSTU-Brasil

Trabalhadores metalúrgicos, da Educação, dos transportes, bancários, operários da Construção Civil, servidores públicos das três esferas, petroleiros de 10 refinarias em 12 estados, entre outras categorias, paralisaram suas atividades e, junto com estudantes e o movimento popular e os trabalhadores do campo, realizaram atos em todo o país. “Essa reforma é indigna, e assim como derrotamos a reforma de Temer, nesse dia damos o pontapé inicial para derrotarmos essa reforma de Bolsonaro, Mourão e desse Congresso de picaretas“, afirma Atnágoras Lopes, da Secretaria Nacional da CSP-Conlutas.

Nós da CSP-Conlutas defendemos a unidade de ação e alertamos: não há nada o que negociar nessa reforma, ninguém está autorizado a negociar a aposentadoria dos trabalhadores do Brasil, e é com Greve Geral que nós vamos vencer o governo e defender a dignidade dos trabalhadores“, afirma Atnágoras.

Acompanhe como está o 14J nas regiões

SP
São Paulo
A capital paulista teve paralisação do metrô mesmo com uma liminar arbitrária da Justiça proibindo o direito de greve. Os trabalhadores rodoviários também paralisaram nas primeiras horas do dia.

Os metalúrgicos e os trabalhadores da Educação também cruzaram os braços, além de várias outras categorias. A cidade teve ainda cortes de estradas e avenidas em diversos pontos, além de manifestações na Zona Sul, Leste e Oeste, e no centro.

Zona Sul

Na USP, trabalhadores e estudantes fecharam o portão da universidade e foram reprimidos pela PM. Onze pessoas foram detidas e 2 ficaram feridos

Leia também:  Brasil: alternativas capitalistas não são a solução

ABC
Os metalúrgicos e as escolas paralisaram suas atividades e realizaram manifestação junto com servidores, estudantes e o movimento popular no centro de São Bernardo dos Campos.

Em Mauá houve bloqueio do Rodoanel e manifestação no centro da cidade.

Mauá

São José dos Campos
Na região do Vale do Paraíba as fábricas paralisaram, total ou parcialmente, junto com as escolas e o transporte público. A patronal do transporte tentou liminar para proibir o direito de greve dos trabalhadores, mas o desembargador Jorge Souto Maior negou a medida e ainda impôs multa de R$ 1 milhão caso os empresários tentem coibir o movimento.

Cubatão
Petroleiros paralisaram a refinaria Presidente Bernardes, da Petrobrás.

MG
Na capital houve a paralisação total do metrô. As escolas também pararam, além de grande parte do comércio. Uma gigantesca manifestação tomou conta do centro de BH no final da manhã.

Trabalhadores da mineração em regiões como Inconfidentes e Congonhas também pararam.

Rodovias e avenidas também foram cortadas em vários pontos do estado.

RJ
Trabalhadores dos Correios, petroleiros, portuários, bancários, além dos trabalhadores da Educação cruzaram os braços nesse dia de Greve Geral. Houve manifestação na Av Brasil duramente reprimido pela Polícia Militar.

Trabalhadores da Petrobrás paralisam desde a madrugada as atividades no Terminal Aquaviário Baia de Guanabara (TABG), na Ilha do Governador.

Também houve paralisação da Refinaria Duque de Caxias (Reduc), na Baixada Fluminense

Em Nitéroi, um carro atropelou manifestantes ferindo três estudantes da UFF (Universidade Federal Fluminense).

Houve ainda trancaço num dos acessos à ponte Rio-Niteroi.

Em Nova Iguaçu e região, os comerciários cruzaram os braços.

Em Itaboraí, trabalhadores trancaram a entrada do Comperj (Complexo Petroquímico)

CE
Em Fortaleza houve a paralisação das escolas, universidades, além dos operários da Construção Civil, servidores públicos e outras categorias. Um grande ato ocorreu no centro da cidade.

Leia também:  Bolsonaro, o cocô e os ricos

Houve ainda grandes atos no interior, como em Iguatu e Limoeiro do Norte.

Iguatu

BA
A capital baiana amanheceu em luta, com 100% da frota de ônibus paralisada. Houve um grande ato que bloqueou a rótula do Abacaxi, no centro de Salvador.

SE
Transportes pararam nas primeiras horas do dia, além do setor comercial e industrial de Aracaju. Houve bloqueios de rodovias em vários pontos do estado.

MA
O 14J está sendo bem forte no estado, com paralisações, bloqueios de estradas e grande presença do movimento popular.

PR
Ao menos cinco garagens de ônibus de Curitiba e da região metropolitana foram fechadas nas primeiras horas do dia.

RS
Houve paralisação dos transportes nas primeiras horas do dia. Em frente à empresa Carris a Brigada Militar investiu fortemente contra manifestantes, prendendo 54 pessoas.

PI
O dia foi marcado por forte paralisação e um grande ato no centro de Teresina no final da manhã.

DF
Em Brasília houve paralisações e o fechamento de rodovias, com a forte presença do movimento popular.