Pedimos à Autoridade de Trânsito de Chicago (CTA) e à Administração da Cidade de Chicago que retirem imediatamente todas as acusações contra Erek Slater e readmitam este motorista de autocarros e líder da União de Trânsito Amalgamado (ATU).

Por: Em Luta – Portugal

Erek Slater é representante da União e membro eleito do Conselho Executivo da ATU 241. A 31 de maio de 2020, dirigiu-se aos seus colegas de trabalho para partilhar a declaração pública oficial do Presidente Internacional da ATU sobre o direito de se recusarem a conduzir para a Polícia. Esta declaração da ATU foi divulgada no contexto dos protestos em massa pelo assassinato de George Floyd:

“Os nossos membros têm o direito … de recusarem o perigoso dever de transportar a Polícia para os locais dos protestos e de levar manifestantes presos para longe das suas comunidades, onde muitos destes motoristas vivem. Isso representa um uso indevido do transporte público.”

Erek Slater, na qualidade de representante sindical, levantou questões sobre os motoristas de autocarros do CTA serem fundamentais na prisão de cidadãos de Chicago que se manifestavam nas ruas exigindo justiça por George Floyd e de outras vítimas de violência policial.

Esses manifestantes, cujas ações estão a provocar mudanças sociais nos EUA, são os familiares e os vizinhos dos próprios motoristas de autocarros. O CTA retaliou contra Erek, retirando-o de serviço e acusando-o de advogar uma greve ilegal, uma acusação que é falsa e que pode levar ao seu despedimento. O advogado de Erek deu entrada a processos federais contra o CTA por violação do direito à liberdade de expressão consagrado na Primeira Emenda da Constituição dos EUA.

Entendemos que as acusações contra Erek Slater representam uma violação da Primeira Emenda e da capacidade dos trabalhadores de se organizarem e pronunciarem contra a injustiça.

Exigimos que o CTA e a Administração da Cidade de Chicago retirem todas as acusações contra Erek Slater e o reintegrem. Além disso, exigimos que a cidade de Chicago garanta a proteção dos direitos dos trabalhadores à auto-organização e à denúncia de injustiças! Este é um momento histórico em que pessoas de todo o país e do mundo estão a manifestar-se nas ruas para obterem justiça.

A solidariedade internacional anti-racista dos sindicatos é mais crucial nesses momentos do que nunca: o ataque a um é um ataque a todos. Assim, incentivamos todos os trabalhadores a assinarem a seguinte petição comunitária de solidariedade:

https://www.change.org/p/chicago-transit-authority-drop-all-charges-and-reinstate-chicago-bus-driver-erek-slater?signed=true

Apoiamos as seguintes exigências:

Retirada de todas as acusações e reintegração de Erek Slater!

Garantia do direito dos trabalhadores à auto-organização e à liberdade de expressão no local de trabalho!

Justiça para George Floyd e para todas as vítimas de violência policial!

As vidas negras importam!

Lisboa 13 de Julho

Em Luta