A Lista do Povo declara seu total apoio e solidariedade à companheira María Magdalena Rivera Iribarren, destacada advogada de Direitos Humanos e candidata à Constituinte pelo Distrito 8, que foi intimada a depor como acusada do suposto crime de “Sedição Imprópria”.

A denúncia foi apresentada pela Direção de Justiça dos Carabineiros perante o Ministério Público do Centro Norte em janeiro de 2020, com base em um vídeo que se tornou viral nas redes sociais, no qual a advogada da Defensoria Popular faz um chamado “à tropa, à base das Forças Armadas e dos Carabineiros, a romper com os oficiais e se juntar a este lado”, a parar de perseguir, punir, mutilar e assassinar aos manifestantes que exigem o fim dos abusos e da repressão nas ruas do país.

Nós, chilenos e chilenos, testemunhamos a deterioração moral e o declínio profissional da polícia uniformizada, cujo dever é garantir a paz social e a segurança para todos. O desprezo e medo se somaram à perda de confiança devido aos desfalques e às falcatruas: milhares de pessoas foram feridas, centenas de mutiladas, dezenas de mortes por tiros em vias públicas ou na escuridão das masmorras, mancham de sangue o alto comando institucional. Nesse contexto, as palavras de María Rivera são apenas uma exortação a respeitar o Estado de Direito, nada menos, a não cometer crimes em cumprimento às ordens emitidas para reprimir o povo e defender o ditador.

É evidente que este súbito interesse em retomar a investigação, mais de um ano após a denúncia, se deve a uma tentativa de sabotar a candidatura independente de María Rivera à Constituinte. Com uma campanha baseada no diálogo cidadão, María atingiu um número recorde de assinaturas para registrar sua candidatura, um apoio que a posicionou como uma voz política relevante, além de uma figura ameaçadora para os interesses da elite político-empresarial.

A Lista do Povo expressa seu total apoio a María Rivera e apela a todas as organizações sociais e defensores dos direitos humanos, coletivos, candidatos independentes e cidadãos cansados ​​da violência e dos abusos policiais a mostrarem solidariedade com nossa companheira, até que a justiça seja feita.

Viva as/os que lutam!

A Lista do Povo