No dia 18 de outubro, mais de 800 pessoas estiveram presentes no ato realizado em frente aos tribunais de Comodoro Py, exigindo a absolvição de Daniel Ruiz e Cesar Arakaki e a liberdade total de Sebastián Romero.

Por: PSTU-Argentina

Várias organizações políticas, sociais e de direitos humanos tomaram a palavra, como o histórico MTR, CADEP, Fogoneros, MST, PTS, MTR 12 de abril, Izquierda Socialista, Partido Obrero, MTR 12 de abril, FOL, Opinión Socialista, Familiares e amigos do prisioneiros de Las Heras, Democracia Obrera, Razón y Revolución, Convergencia Socialista, Bloco Nacional Piquetero, MULCS e Izquierda Latino-americana y Socialista.

Muitas outras organizações enviaram seu apoio, como a Assembleia Permanente dos Direitos Humanos. Houve até adesões internacionais como a central sindical CSP-CONLUTAS no Brasil, a Rede Sindical Internacional, sindicatos do Estado espanhol, Costa Rica, Portugal, Paraguai e também de organizações do Chile, Itália, México, El Salvador, entre outros.

Em nome do PSTU, fizeram uso da palavra o próprio Daniel Ruiz, Javier Balcazar, dirigente mineiro de Santa Cruz. Mais uma saudação enviada pelo companheiro Sebastián Romero que desde sábado está de volta a sua casa em Rosário.

Do palco, Daniel enviou uma mensagem muito nítida: “… para os promotores que acham que com uma pena de anos, ou estar preso em uma penitenciária, a luta vai acabar. A gente tá falando pra eles que apesar dos golpes, apesar dos mártires que temos na classe operária, nunca vamos nos ajoelhar, vamos estar sempre em pé (…) não se pode mentir aos trabalhadores, tem que falar que uma revolução social é necessária ”.

Sebastián, em sua mensagem, agradeceu a todos nós que realizamos esta campanha. E expressou sua imensa alegria ao voltar para casa depois de 3 anos e 10 meses desde que ele deixou sua casa para se mobilizar em 18 de dezembro e não pôde retornar.

Javier encerrou o evento destacando que “… não temos apenas que nos preparar para sair e nos mobilizar, temos que nos preparar para nos defender. Não podemos ir de mãos atadas para protestar quando sabemos que vão nos reprimir (…) Reivindicamos o que fizemos em dezembro, não escondemos nada, assim somos nós ”.

Ontem, o Ministério Público apresentou seu fundamento solicitando a pena de três anos de prisão para Daniel Ruiz, e a pena de três anos e quatro meses de prisão para Cesar Arakaki.

Chamamos a continuar no caminho deste ato, a redobrar a mobilização para conseguir a absolvição dos camaradas e a liberdade de Sebastián Romero, Milagro Sala e todos os presos por lutar.