ter maio 28, 2024
terça-feira, maio 28, 2024

Apresentamos o Programa de Corriente Roja para a Revolução Socialista no Estado Espanhol

Apresentamos com orgulho o programa de Corriente Roja para a revolução socialista no Estado espanhol, um material nascido da elaboração coletiva e que queremos debater com todos aqueles lutadores e lutadoras que não se resignam e querem construir uma alternativa.

Para discutir conosco, não hesite em contactar qualquer militante ou escrever-nos através das redes sociais, email (info@corrienteroja.net) ou telefone (+34 685 64 92 74).

Facebook: https://www.facebook.com/CorrienteRoja

Instagram: https://www.instagram.com/corrienteroja/

Índice de conteúdo

Prefácio

I. Introdução

II. A questão ecológica.

Alguns elementos que mostram que a catástrofe ecológica já se instalou entre nós.

O impacto desigual da catástrofe ecológica: há vítimas e responsáveis

A resposta do capitalismo imperialista à catástrofe ecológica que criou: a fraude das cúpulas climáticas

A impossibilidade da transição verde sob o capitalismo

A fraude da transição verde da UE e do Estado espanhol

A guerra na Ucrânia agrava mais ainda as coisas

A catástrofe climática é uma expressão da barbárie e um elemento central da falência histórica do capitalismo.

Acabar com a dominação capitalista em cada país e à escala global, reconstruir a economia sobre bases socialistas e restaurar o metabolismo com a natureza

III. Um programa para enfrentar a emergência socioeconómica e ambiental e preparar o caminho para o socialismo

A crise expõe um capitalismo periférico e dependente.

Reorganização geral da economia, baseada nas necessidades sociais e na sustentabilidade ambiental.

Nacionalização de indústrias estratégicas sob o controle da classe trabalhadora.

Por salários dignos, pela sua atualização obrigatória e automática de acordo com o IPC.

Combater o desemprego, reduzir a jornada de trabalho sem reduzir os salários

Revogação das reformas trabalhistas de 2010, 2012 e 2021.

Regularização da população imigrante indocumentada em território estatal

Saúde, educação e aposentadorias/pensões públicas

Nenhm despejo sem alternativa de habitação adequada, por um parque público de habitação para aluguel social.

Expropriar os bancos e nacionalizar o sistema de crédito

A questão agrária

Não ao pagamento da dívida

IV. O Regime de 78. Um regime marcado pelo legado do Franquismo.

O atraso histórico do Estado espanhol

A Constituição de 78, resultado de um engano

Chamam-lhe democracia e não é

V. A questão nacional

O Estado espanhol, uma “prisão de povos”

A questão nacional, o regime de Franco e a fraude da Transição

O ressurgimento do movimento de independência catalão

A luta pelos direitos nacionais do povo e as lições do referendo catalão

A defesa das nossas próprias línguas, uma tarefa democrática básica

O direito à autodeterminação na Galiza

VI. Por uma Assembleia Constituinte livre e soberana

Uma Assembleia Constituinte livre e soberana deve apoiar-se no respeito pelo direito à autodeterminação e empreender a depuração de juízes e comandantes militares e policiais reacionários.

VII. Enfrentar o aparato de repressão do Estado

O Exército

As forças policiais

VIII. A extrema direita e o fascismo

IX. O Estado espanhol, um país imperialista de segunda classe

As garras do Ibex 35 na América Latina

O Estado espanhol, peão submisso da OTAN, braço armado do imperialismo

Parem com o negócio das armas!

Os enclaves militares de Ceuta e Melilha, fronteira sul da UE face à pressão migratória

O Saara pertence aos saharauis

X. A resposta marxista às opressões

Exploração e opressão no marxismo

O marxismo e as diferentes teorias sobre a opressão

XI. Passo para a mulher trabalhadora

Pelos nossos direitos trabalhistas!

A violência machista continua não sendo uma prioridade pública

Não à dupla jornada de trabalho!

XII. Avanço para a juventude

Emprego estável com salários dignos e direitos políticos!

Educação 100% pública e de qualidade!

Por um movimento estudantil massivo e democrático!

Pela nossa emancipação e pelos direitos políticos da juventude!

Acesso gratuito ao lazer, natureza e cultura!

Uma juventude na vanguarda da luta por uma revolução socialista

XIII. A luta LGBTI

XIV. Contra o racismo e a xenofobia

XV. A batalha inevitável contra o reformismo

O que foi ontem e o que é o “reformismo” hoje?

Reformistas ontem e hoje diretamente partidos burgueses

Os reformistas de hoje: reformistas sem reformas

As organizações que estão entre o reformismo e a revolução

XVI. O trabalho sindical e a luta pela organização independente da classe trabalhadora

O papel atual dos sindicatos

A diáspora sindical e o sindicalismo alternativo

A luta pela reconstrução dos sindicatos de classe

e a organização independente da classe trabalhadora, governe quem governe

A luta para transformar os sindicatos em órgãos dos setores mais explorados os e precários da classe operária

A Frente Unida (FU) e unidade de ação

O partido revolucionário e o trabalho nos sindicatos

XVII. Por um governo da classe trabalhadora

XVIII. Não à Europa do capital! Pelos Estados Unidos Socialistas da Europa!

A UE, um conglomerado imperialista europeu dominado pela Alemanha e pela França

A crise de 2007-2008 mostrou a verdadeira face da UE

A UE não se tornou “social e solidária” após a pandemia

A UE e a guerra ucraniana

A batalha pelos Estados Unidos Socialistas da Europa dá sentido à luta contra a UE e uma perspectiva revolucionária à luta em cada país

XIX. Construir o Partido Revolucionário no Estado Espanhol e uma Internacional

Que partido e para quê?

A participação nas eleições e nas instituições parlamentares está ao serviço da luta extraparlamentar, da divulgação do programa e da construção do partido revolucionário

Junte-se a nós para construir a Corriente Roja e a LIT-QI!

Retirado de https://www.corrienteroja.net/ 18/03/24

Confira nossos outros conteúdos

Artigos mais populares