ter abr 23, 2024
terça-feira, abril 23, 2024

Terremoto na Turquia

Na manhã de 6 de fevereiro, acordamos com um grande desastre. Um terremoto de magnitude 7,7 centrado em Pazarcık, Kahramanmaraş causou uma destruição maciça nas cidades de Kilis, Diyarbakır, Adana, Osmaniye, Diyarbakır, Adıyaman, Gaziantep, Malatya e Hatay no sul da Turquia. Seguiu-se outro terremoto de magnitude 7,6 na mesma região, um evento raro na história da civilização humana.

Por: Conselho editorial do jornal Kırmızı

Agora, o impacto de um desastre causado pelo homem foi adicionado a este grande desastre natural. Tendo experimentado um dos terremotos mais devastadores do mundo e “cobrando impostos especiais por 25 anos” dos trabalhadores deste país para que o país não seja enterrado sob os escombros novamente, o capitalismo da Turquia não presenteou o povo desta terra com nada após 25 anos.

A singularidade do desastre não decorre apenas da magnitude das perdas. Este terremoto revela a “podridão” da natureza socioeconômica do capitalismo turco com extraordinária nudez.

As classes dominantes da Turquia sabem há 35 anos que esta geografia está cheia de falhas destrutivas. No entanto, eles não se abstiveram de construir casas para ostentação, mas não à prova de terremotos e continuaram construindo cidades não planejadas para seu tortuoso capitalismo desigual e implacável, que eles aprofundaram em toda a Anatólia.

Os impostos sobre terremotos arrecadados entre 1999-2021 são de 83 bilhões de liras turcas no total, 38,2 bilhões de dólares com as taxas de câmbio daquele ano! 730 bilhões de liras turcas em dinheiro de hoje.

E nós temos um grande nada…

Nosso povo trabalhador continua esperando de mãos atadas – possivelmente por uma cadeia de desastres perigosos que provavelmente ocorrerão no futuro.
Quem não está cansado desse estado sempre glorificado sendo considerado apenas uma máquina de guerra?

Estamos passando por uma crise multifacetada e destrutiva causada pelo capitalismo turco…
Esta crise nos coloca à beira de uma encruzilhada. Essa encruzilhada está intimamente relacionada ao problema de como utilizar os recursos produzidos no país.
Vamos permitir que o que nos pertence seja saqueado pelas classes dominantes turcas, que não passam de um parasita que nos suga?

Ou vamos recorrer ao seu uso para aumentar o bem-estar da sociedade com base em uma economia planificada e sob o controle dos trabalhadores?

Confira nossos outros conteúdos

Artigos mais populares