sex maio 24, 2024
sexta-feira, maio 24, 2024

Breve história do PSTU na internet

1996

Partido cria sua primeira página, ainda em um endereço gratuito de hospedagem, comum na época. Ainda não havia Google e sites eram registrados em ferramentas de busca, como o “Cadê”. O PSTU foi um dos primeiros a entrar na web, junto com o PT.

Site era muito simples, com formas de contato, conteúdo do jornal e textos urgentes.

2000
 
Em fevereiro, o site é refeito. Ganha versão em inglês, com apresentação do partido e resumo das greves metalúrgicas. Mural de mensagens, Fórum de Debates e a Lista PSTU Discute permanecem com destaque.

A novidade é a criação de uma área “Últimas”, reunindo o que havia de novo no site. No entanto, atualização continua irregular.

2001
 
Nova reformulação. Desta vez, adota-se visual mais limpo, com um menu completo à esquerda. O conteúdo do Opinião Socialista continua sendo o carro-chefe. Site começa a cadastrar e-mails. Mantém a sala de bate-papo no IRC, no canal #socialismo

2002
 
Site é completamente refeito, com projeto gráfico e editorial muito superior ao das demais organizações e partidos na época. Adota as cores vermelho e amarelo no site, um menu horizontal e dá destaque ao Fala Zé Maria. Também incorpora novidades como especiais (campanhas), enquetes, galerias de fotos e o uso de banners.

Logomarca do partido é unificada, a partir do site, e cria-se uma versão especial para anos eleitorais, com o 16 junto.

Lançamento é feito no Fórum Social Mundial, com cartaz e folheto.

Em agosto, a candidatura de Zé Maria, com o eixo do Não à Alca e ao FMI, ganha site próprio, com cobertura da campanha nos estados e repercussão na imprensa. Também oferece download de materiais.

2003
 
Portal faz sua segunda cobertura, direto do Fórum Social Mundial, em Porto Alegre.

Neste ano, também lança o seu boletim eletrônico. Hoje quinzenal, é enviado para cerca de 25 mil endereços.
 
2005
 
Portal sofre reformulação em janeiro, adequando a primeira página e editorias para receber atualização permanente e conteúdo próprio do site.

2006
 
Partido cria conta no Youtube, disponibilizando programas eleitorais. Na semana da eleição, site oferece “cola virtual”, para internautas montarem sua lista para o dia das eleições.

2007
 
Ano marca o reforço na atualização do conteúdo, que passa a ser diária.

Em março, portal faz transmissão ao vivo do ato em homenagem a Nahuel Moreno, no Memorial da América Latina em São Paulo. Evento é visto em 21 países.

No segundo semestre, partido faz chat com membros da delegação que visitou o Haiti e lança especial sobre o aniversário da Revolução Russa.

O blog Molotov, feito por militantes do Ceará, entra para o portal, como blog do partido.

2008
 
Editora Sundermann passa a vender livros pela internet.

2009
 
É lançado o Arquivo Leon Trotsky e o site da Liga Internacional dos Trabalhadores é reformulado, com versões em quatro idiomas.

2010
 
Nas eleições, partido cria site especial para a campanha Zé Maria presidente. Twitter é um dos fenômenos da campanha e principais candidatos do partido passam a enviar mensagens para a rede.

Partido lança a TV PSTU e a primeira página do site é adaptada para receber conteúdo em vídeo.

Regionais criam sites próprios, como Rio de Janeiro, Brasília, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

2011
 
Em janeiro, logo após o programa de TV do partido, a tag #PSTU aparece entre as 10 mais do Twitter, junto com o #naoaoaumentodosdeputados. O feito se repetiria algumas vezes, inclusive recentemente, após a ida da professora Amanda Gurgel à TV, após seu vídeo no Youtube ter sido visto por milhões de pessoas.

PSTU e a juventude do partido criam suas páginas no Facebook.

Campanha pela liberdade dos presos do Consulado lança site.

Fonte: Opinião Socialista nº 425, de 08 a 29 de junho de 2011.

Confira nossos outros conteúdos

Artigos mais populares