O governo de Nicolas Maduro acaba de decretar a liberdade aos políticos da oposição burguesa que estavam presos por ordem do próprio presidente.

Por: César Neto em CSP Conlutas

Ao mesmo tempo mantém presos dezenas de trabalhadores e líderes populares que se opuseram à política de fome e miséria praticada pelo chamado “Socialismo do Século XXI”, “Revolução Bolivariana” e tantos outros nomes que só serviram para esconder o real caráter de governo patronal e repressor.

Agora caiu a máscara. O governo deu liberdade aos conspiradores e corruptos da direita e mantém presos os trabalhadores e lutadores populares.

No dia 9 de setembro, na cidade petroleira de Puerto La Cruz, os trabalhadores fizeram uma manifestação em defesa dos trabalhadores presos.

Veja a transcrição [e o VÍDEO, logo abaixo] das falas de Eudis Girot e Luis Dias, ambos dirigentes dos sindicatos petroleiros. Eles estão há mais de 10 anos como dirigentes. Este é o primeiro e único mandato deles. Sim, são mais de 10 anos no sindicato e no mesmo mandato.

Acontece que para que haja eleições sindicais, no padrão democrático do chavismo é preciso autorização do Superior Tribunal Eleitoral. Não há autonomia para os trabalhadores definirem suas eleições!. E como a eleição é proporcional e o os governistas perderão as eleições, então o governo impede a convocação de eleições.

Eudis Girot, chavista histórico e diretor executivo do FUTPV (Sindicato dos trabalhadores Petroleiro da Venezuela)

Estamos aqui trabalhadores petroleiros condenando a atitude de Nicolas Maduro liberou a uma quantidade presos políticos….porém é incrível o cinismo, a cara de pau de Nicolas Maduro que negou a liberdade ao nosso companheiro Bartolo Guerra, Marco Sabariego, Gil Mujica. Nicola Maduro não é nenhum presidente obreiro, é anti democrático, e aqui está a consigna: exigimos a liberdade de Bartolo, Marco Sabariego e Gil Mujica.

Luis Dias, militante trotsquista e diretor do FUTPV (Sindicato dos Trabalhadores Petroleiros da Venezuela)

A liberdade dos presos políticos nos mostrou uma coisa: que é um problema de classe. Soltaram aos corruptos, aos que levaram este país à ruína e o companheiro Bartolo Guerra que é um trabalhador de mais de trinta anos de serviço na industria petroleira, hoje o têm preso injustamente. O presidente Nicolas tem que tomar consciência, que solte o companheiro Bartolo, que solte o companheiro Roni Alvarez que também está preso injustamente, que soltem todos os trabalhadores a nível nacional que hoje são presos  por este governo que se diz socialista e operário. Este é um governo que não tem nada que ver com os trabalhadores. Este é um governo que não tem nada que ver com os setores populares. É um governo que tem uma política anti popular e anti operária, que provocou a fome e a miséria o povo venezuelano.