Após mantê-lo detido injustamente por 10 anos, inúmeros adiamentos de audiências e recomeços de julgamento, em um fato de evidente delonga processual e em um processo repleto de arbitrariedades, nesta terça-feira, 8 de junho de 2021, o governo de Maduro, através de seus tribunais, condenam Rodney Álvarez a quinze anos de prisão.

Por: UST-Venezuela

A sentença vem dias depois de que a situação de Rodney foi denunciada na Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Cabe relembrar que no dia 9 de junho de 2011, em assembleia de trabalhadores da Ferrominera, empresa onde trabalhava Rodney Álvarez, e que tinha por objetivo a eleição da comissão eleitoral, para a posterior eleição do sindicato da referida empresa, foi assassinado o trabalhador Renny Rojas. Desde então Rodney está na prisão por meio de uma verdadeira armação judicial, a qual se manteve durante estes dez anos, em decorrência da impossibilidade de constituir provas incriminatórias contra o companheiro Rodney Álvarez.

Tanto as câmeras de segurança, como os presentes na mencionada assembleia, testemunham que foi o dirigente sindical e militante do Partido Socialista Unido da Venezuela – PSUV, Héctor Maicán, quem disparou três tiros contra os participantes da assembleia, dos quais dois atingiram Renny Rojas, e o outro tiro feriu o trabalhador Luis Quilarque.

Apesar de ter sido detido por membros da Guarda Nacional Bolivariana (GNB), sua arma ter sido apreendida e a promotoria ter anunciado sua prisão, como suposto assassino de Renny Rojas, dois dias depois Héctor Maicán foi libertado, com o argumento de que os testes balísticos não comprovaram. Mas a verdade é que esta libertação se deveu ao conluio com o então governador do estado Bolívar Francisco Rangel Gómez e entre ele e as máfias sindicais das quais Maicán faz parte.

Desde então, todo o processo foi forjado contra Rodney Álvarez, a ponto de ultimamente ter sido negado até seu direito de defesa nas audiências, não permitindo a entrada de seu advogado de defesa em algumas delas, por ter denunciado publicamente a demora processual. Tudo isso nitidamente motivado pela necessidade de a ditadura madurista inculpar qualquer trabalhador neste crime condenável, a fim de libertar da culpa o verdadeiro assassino, seu apoiador Héctor Maicán.

A partir da Unidade Socialista dos Trabalhadores (UST), repudiamos veementemente esta grosseira condenação e chamamos a realização de uma forte campanha para denunciá-la, bem como exigir a libertação imediata de Rodney Álvarez.