O próximo dia 12 de setembro marca um ano da prisão política do ativista argentino Daniel Ruiz. O petroleiro de Chubut, militante histórico na Argentina, foi detido por lutar contra a reforma previdenciária de Mauricio Macri em atos realizados em 2017. O militante ainda participou ativamente de outras mobilizações de trabalhadores e do movimento de mulheres no país.

Por: CSP Conlutas

Sua prisão é denunciada pelos movimentos sociais como injusta e ilegal, em meio a tantas outras que o governo de Macri realiza contra lutadores e militantes na Argentina, assim como as absurdas perseguições políticas, como a que ainda ocorre com o ativista Sebastian Romero, a quem Daniel Ruiz também apoiou em diversas campanhas de solidariedade.

Nesse período de um ano, foram diversas as manifestações de solidariedade e as denúncias da arbitrariedade do governo e da justiça argentina contra Daniel Ruiz. Em todos os atos de apoio, movimentos expuseram a política repressiva de Macri aos movimentos e aos que lutam contra a retirada de direitos no país.