COMPARTILHAR

Apartheid não é normal. Boicote cultural a Israel já! O recado foi dado na última segunda-feira, dia 20 de agosto, por 40 pessoas que se concentraram em frente à Sala São Paulo. O protesto se deu em repúdio à presença da Orquestra Sinfônica de Jerusalém.

Por: Soraya Misleh

Patrocinada pelo Ministério das Relações Exteriores de Israel, com apoio do Consulado em São Paulo e de organizações sionistas locais, a orquestra também enfrentou protestos em Tucuman, na Argentina. Manifestações devem ocorrer ainda no Chile e no Peru, último destino previsto pela orquestra em sua passagem pela América do Sul. O giro da orquestra vem sendo anunciado como em comemoração aos 70 anos do Estado de Israel – a nakba (catástrofe de 1948, quando foram expulsos 800 mil palestinos de suas terras, mediante limpeza étnica planejada).

Em São Paulo a manifestação contra a tentativa de Israel de normalizar o apartheid foi organizada pelo BDS Brasil, Frente em Defesa do Povo Palestino e espaço Al Janiah. Os participantes lembraram que enquanto isso, as forças de ocupação destroem espaços do gênero, como o principal Centro Cultural em Gaza.

O PSTU esteve presente e foi representado pela professora Micheli Souza Silva, candidata a deputada estadual nestas eleições. Como alguém que vive e trabalha na periferia, ela lembrou que as armas que matam palestinos são depois importadas pelos governos no Brasil para servir ao genocídio da população pobre e negra. Destacou ainda o bombardeio ao centro cultural em Gaza pelo Estado de Israel, representado pela orquestra que ali se apresentava: “Destruíram sonhos, o direito à cultura, à música, ao futuro. Não vamos nos calar.”

  • Soraya Misleh é jornalista palestino-brasileira, apresentadora do programa Opinião Socialista – Mundo Árabe