COMPARTILHAR

“…(Mmame) dizia que já não podia correr mais. Mas continuou porque não queria perder suas sacolas…”

Por Co.Bas

Assim morreu, como viveu, o companheiro trabalhador imigrante. Por seus pertences e por sua vida, em liberdade “condicional”, a que nos obriga a lei de imigração e o racismo subsequente.

No áudio, uma entrevista com um companheiro que estava com Mmame http://bit.ly/2HMvfbZ

  • No ao rascismo, não à Lei de Imigração
  • Fechamento dos CIEs
  • Trabalho e documentação para todos
  • Julgamento e punição pelo assassinato de Mmame!