COMPARTILHAR

1. No dia 23 de março, o juiz Llarena ordenou a prisão sem fiança dos ex-conselheiros Turul, Rull, Romeva e Bassa, assim como da ex-presidente do Parlamento, Carme Forcadell. São cinco novos presos políticos independentistas que se juntam à lista dos encarcerados em Estremera e Alcalá-Meco (os dois Jordis, presos desde 16 de outubro, e Junqueras e Forn, presos desde 2 de novembro). Além disso, a ex-deputada Marta Rovira procurou refúgio na Suíça, somando-se à lista de exilados formada por Puigdemont, Comín, Puig, Ponsatí e Anna Gabriel.2.

2.As novas prisões fazem parte de um processo contra 25 dirigentes independentistas, 13 dos quais acusados de rebelião, crime pelo qual podem ser condenados a penas de 15 a 25 anos de prisão e desqualificação. O juiz também ativou o mandato europeu para a extradição dos acusados.

3.O regime monárquico desencadeou uma campanha vingativa e histérica de repressão cujo objetivo é impor uma punição exemplar ao povo da Catalunha por ter-se atrevido a realizar um referendo de autodeterminação no dia 1 de outubro de 2017, desafiando a unidade forçada do Estado espanhol.

4.A acusação de rebelião responde a uma fabricação judicial grosseira de um crime inexistente, já que em nenhum momento houve “revolta violenta”. A atuação judicial é uma burla flagrante aos mais elementares direitos democráticos. Deixa em evidência a farsa da divisão de poderes e mostra a Monarquia espanhola como legítima herdeira do regime franquista.

É significativo que, hoje em dia, o PP, Ciudadanos e PSOE tenham se negado a rever a Lei de Amnistia de 1977 que consagrou a impunidade dos crimes do franquismo. São os mesmos que apoiam o Artigo 155 e protegem uma atuação judicial própria de uma ditadura. Eles são os da lei da mordaça e da atual ofensiva contra a liberdade de expressão desencadeada em todo o Estado.

5.Exigimos a libertação imediata dos presos políticos catalães, o fim da cruzada repressiva contra o independentismo catalão e o arquivamento de todos processos judiciais em curso contra ele. Exigimos a retirada imediata do Artigo 1555.

Convocamos todos a participarem nas mobilizações pela liberdade dos presos políticos catalães e contra a repressão e a organizarem uma resposta massiva, unitária e contundente.

Convocamos também a organizar a solidariedade no conjunto do Estado para, juntos, pormos fim à atual histeria repressiva do regime.

Libertação imediata dos presos políticos catalães!

Fim da repressão contra o independentismo catalão!

Arquivamente de todos os processos em cursos contra o independentismo!

Retirada do Artigo 155!

Solidariedade com a Catalunha em todo o Estado espanhol!

Corriente Roja, 23 de março de 2018

Tradução: Em Luta