COMPARTILHAR

O forno que cozinha acordos de constitucionalidade duvidosa entre o atual presidente Horacio Cartes e o ex-presidente Fernando Lugo está no ponto. Está em marcha um manjar para a mesa dos barões do “usem e abusem”, um apetitoso prato para a mesa dos Lugo, Sixto e Richer. No entanto, e em contrapartida, para o povo trabalhador será, sem dúvida alguma, uma comida nauseante e podre.

Por: PT – Paraguai

Retorcer tudo com medidas de legalidade duvidosa e acomodar a Constituição Nacional mediante a emenda para habilitar a reeleição só é favorável a Cartes, Lugo, Blas Llano e a seus substitutos puxa-sacos e servis. Para o povo trabalhador, seus interesses e direitos, mostra um panorama de presente tenebroso e futuro trágico .

Ambos, Cartes e Lugo, foram provados e o resultado é categórico: não servem para encaminhar e assegurar melhores dias para as grandes maiorias do nosso povo. A reeleição somente repetirá o que já conhecemos: bem-estar para uma minoria privilegiada e agudos mal-estares para o povo empobrecido.

Afirmamos isso sem dar o mínimo mérito nem confiança aos Mario Abdo Benítez, Efraín Alegre ou Mario Ferreiro, que são, no fundo e na superfície, irmãos de classe dos anteriores.

Cartes: reeleição para apropriar-se de tudo

De Cartes e de seus representantes é possível entender a ansiedade para continuar, porque estão se apropriando de tudo o que existe de valor no país, patrimônio, bens, serviços, o que seja, enriquecendo-se muito.

Dos barões do “usem e abusem”, é compreensível que façam até os mortos assinarem e falsifiquem assinaturas a torto e a direito para tentar dar “calor popular” a sua manobra de impor medidas prejudiciais à Constituição Nacional, mesmo sendo esta uma Constituição burguesa de democracia formal. Desses devoradores insaciáveis, tão comuns no coloradismo (Partido Colorado), é lógico esperar que usem a Constituição Nacional como papel higiênico em prol de sua doentia busca pela reeleição para o patrão Cartes.

De Lugo e do Luguismo era possível esperar algo distinto, no entanto, é o mesmo presente de grego com maquiagem diferente, mesmo quando tentam vender uma imagem diferente e se apresentar diante do povo como “a mudança para melhor”.

Leia também:  Paraguai | O principal líder colorado Cartes e seu cartel. Para a prisão!

Lugo e a Frente Guasú: traição e deslealdade

É necessário dizer, com todas as letras, que a responsabilidade histórica está nas mãos de Lugo e da Frente Guasú, que, até agora, seguem o rumo da traição e da deslealdade.

Efetivamente, uma das maiores maldades políticas deste último período é, sem dúvida, a atitude hipócrita, servil e complacente de Lugo e seus assistentes – os Richer, Sixto, Carrillo e outros – em relação a Cartes e ao cartismo.

Lugo, com sua hipocrisia sem limites e tentando manter as aparências, simula que está contra a emenda enquanto promove sua concretização, finalizando, com seus adeptos e seus algozes, sua tão ansiada como inútil candidatura.

Richer e os outros, entretanto, esforçam-se ao máximo para habilitar a candidatura de Cartes para que Lugo possa concorrer e, por esta via, seguir existindo em sua tarefa política e parlamentar da qual eles tiram vantagem, sendo inofensiva para os grandes proprietários e ricos de nosso país e prejudicial para o povo trabalhador.

Lugo, o coveiro de sonhos e o destruidor número 1 dos dirigentes camponeses e populares, é o mais nocivo de todos, porque, enquanto sua política e seu programa adormecem e desarmam as forças populares para entregá-las no altar da burguesia, ele só se preocupa com o seu prestígio, que utiliza como maquiagem para esconder a podridão. Com suas intermináveis enrolações sobre os “dias melhores para todos e todas” serve até para piadas, mas é tão profundamente prejudicial que, como ideologia e para o bem da classe trabalhadora, deve ser erradicado das mentes e dos corações populares.

Por uma frente eleitoral classista, ampla e democrática

Em nossa opinião, é necessário e urgente que as forças populares e de esquerda se manifestem por todos os meios contra essas manobras fraudulentas dos que querem a reeleição. Ter firmeza contra Cartes e Lugo. Sem dar nenhuma confiança a Abdo Benítez, Alegre ou Ferreiro, devemos nos manifestar contra a acomodação das regras democráticas burguesas para atender aos desejos privados de conhecidas figuras que são contra o povo trabalhador.

Leia também:  Paraguai | Balanço político 2019

Instamos à Frente Guasú que deixe de fertilizar o terreno para os predadores do país e se some ao movimento de massas para impedir, por todos os meios e com todas as forças, que se abra esta verdadeira caixa de pandora antidemocrática. NÃO categórico à reeleição de Cartes e de Lugo.

Finalmente, e o mais importante e urgente, é que, no plano eleitoral, nós trabalhadores discutamos um projeto que responda aos interesses do povo. Uma grande frente eleitoral classista, ampla e democrática que se apresente como alternativa eleitoral, com candidaturas da classe trabalhadora, camponesa e popular, com um programa que se oponha pelo vértice a todas as variáveis neoliberais e entreguistas e ponha em perspectiva uma sociedade socialista sem opressores nem oprimidos, sem exploradores nem explorados.

Publicado em El Socialista n.° 188 março de 2017

Tradução: Nea Vieira