COMPARTILHAR
Nossa organização, a Liga de Trabalhadores para o Socialismo, fiel a sua condição de destacamento de luta em defesa dos interesses da classe trabalhadora e pelo Socialismo no Panamá e no Mundo, comunica a todos os trabalhadores e demais setores populares sua inquebrantável decisão de continuar apoiando a Greve Geral sobre a base de que a Greve deve ser um chamado social para trabalhar a unidade de nossa classe e a necessária reflexão que nos permita assentar as bases orgânicas e ir construindo o Instrumento Político da classe trabalhadora Panamenha.
 
Os recentes acontecimentos na heróica Província de Bocas del Toro, especificamente na comunidade de Changuinola, põem a descoberto o caráter racista, repressor e intimidador do governo de Ricardo Martinelli e sua confraria de partidos empresariais.
 
Uma vez mais, ficou claro o poder de fogo da classe trabalhadora e os setores populares quando, nas ruas, são capazes de fazer uso do direito à rebelião ante as imposições das classes dominantes no poder. É necessário destacar o desconcerto do governo e dos empresários de todo o país pelas ações combativas e consequentes dos trabalhadores: centenas de operários da etnia Ngöbe Bugle de diferentes regiões se somaram à luta durante os dez dias de insurreição popular nesta província vítima da mais selvagem exploração e humilhação por empresas imperialistas como a Bocas Fruit Company (com cumplicidade de todos os governos pró-capitalistas).
 
A LTS faz um chamado à direção Sindical para que se mantenha a unidade de ação das diferentes organizações no marco da unidade para efeito de conseguir o triunfo da Greve. Os trabalhadores de Bocas del Toro mostraram o caminho.
 

Que se mantenha a greve; pela revogação da Lei 30, contra o aumento de 7% e pela defesa do meio ambiente!

– Solidariedade aos trabalhadores e feridos de Bocas Del Toro!

Contra a perseguição e intimidação de dirigentes operários!

 
Comitê Executivo LTS – Panamá
Colón, 13 de Julho de 2010
 
Tradução: Rosangela Botelho