COMPARTILHAR

Em uma anunciada insanidade, o governo de empresários metidos a loucos está, como se esperava, desfalcando aceleradamente o povo panamenho. Como todo burguês, Martinelli[1] prometeu “mudanças”. No entanto, o que estamos vendo é a reiteração descarada das mesmas práticas dos governos anteriores: nepotismo, impunidade, aumento do custo de vida, corrupção e todo tipo de escândalos governamentais.


 


Demissões de empregados públicos por razões políticas, leis que beneficiam os bancos e os empresários aprovadas, na calada da noite, pela câmera de deputados, aumento da criminalidade e da delinqüência. Enfraquecimento do setor agrícola, pondo em perigo a segurança alimentar do povo panamenho, que está baseada na produção nacional, aumento da dívida pública, etc.


 


No meio de tudo isto, segundo as cifras oficiais, o nível de pobreza nas comarcas indígenas afeta 96,3% dessas populações. Em nosso país, a miséria e a pobreza, que ferem a dignidade humana, não guardam relação com o crescimento econômico e a riqueza acumulada pelas classes dominantes.


 


Por outro lado, a perda de poder aquisitivo da classe trabalhadora faz necessário organizar uma jornada de luta para obrigar os empresários e o governo a implementarem um aumento geral de salários.


 


Nós revolucionários socialistas, organizados na LTS (Liga de Trabalhadores para o Socialismo), chamamos à classe trabalhadora a romper com os partidos dos empresários para construir nossa própria organização política: o partido da classe trabalhadora.






[1] NT: Ricardo Martinelli é um empresário do ramo de supermercados que nas últimas eleições derrotou por larga margem de votos a candidata do então oficialismo torrijista, Balbina Herrera e assumiu a presidência em maio de 2009.