COMPARTILHAR

1- A população trabalhadora vem suportando as investidas que os poderosos vem realizando contra nossas condições de vida. Sobram exemplos desta dura realidade: privatizações, dolarização, impostos (velhos ou novos), alto custo de vida, baixos salários e por outro lado, benefícios para uns poucos.

2- Todas estas medidas responderam sempre às vontades do imperialismo através dos organismos financeiros internacionais como o Fundo Monetário Internacional, que ditou “receitas” para El Salvador. A este respeito, destacamos que não importa quem governe, as medidas do Fundo Monetário continuarão sendo cumpridas ao pé da letra como fizeram os governos da Aliança Republicana Nacionalista (ARENA) e da Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN).

3- Começou a campanha política para as eleições de fevereiro de 2019. E já vemos desperdício de dinheiro para construir imagens e slogans, mas como sempre, não aparecem propostas de solução para a classe trabalhadora.4

4- Como pessoas trabalhadoras organizadas politicamente sabemos que só temos obtido conquistas através da luta, a jornada de trabalho de 8 horas, o voto para as mulheres, etc. As eleições não são a solução para a crise. Nunca foram, só nossa mobilização permanente e independente conseguirá transformações.

5- No cenário atual, nenhum dos candidatos representa os interesses da população salvadorenha. Nenhum. Todos e cada um respondem a outros interesses muito diferentes daqueles que são próprios dos trabalhadores. Carlos Calleja representa os interesses da velha oligarquia comercial. Hugo Martínez representa os interesses da nova burguesia que procura proteger-se de que lhe peçam prestação de contas. Josué Alvarado também é um empresário que prosperou fora das fronteiras. E Nayib Bukele que representa os interesses de um setor da burguesia, de capital árabe, que decidiram tomar o pedaço que acreditam lhes pertencer. Repetimos que nenhum representa os interesses da classe trabalhadora, SÃO TODOS PATRÕES.

6- Existe um amplo setor da população que não se sente representado por nenhum dos candidatos das diferentes direitas que participarão nas eleições de fevereiro de 2019. Surge então a pergunta: em quem votamos então? Sem esquecer o que dissemos anteriormente a respeito de que as eleições não são a saída para a crise, lançamos hoje a campanha NINGUÉM ME REPRESENTA, VOTO NULO 2019, VOTAMOS LUTAR.

7- Votamos Lutar e resistir aos ataques que virão depois das eleições de fevereiro de 2019. Temos a plena certeza que Ganhe quem Ganhar em 3 de fevereiro O Povo Trabalhador Perde, o governo que ficar continuará sendo marionete do FMI, e do Imperialismo, por isso o 3F (3 de fevereiro) só inicia nossa luta. ANULANDO NOSSO VOTO, Votamos organizar-nos, Votamos resistir, Votamos confiar em nossas próprias forças como classe trabalhadora.

8- Atualmente só há expressões da direita para as eleições de 2019, por isso nossa campanha não procura beneficiar a direita, e sim rechaçar todas as direitas, de todas as cores. Não basta escolher o menos pior entre todos os maus. Não basta nos conformarmos. Eles nos roubaram a esperança, agora organizando-nos e mobilizando-nos podemos transformar nosso país, e chega de confiar nos políticos burgueses.

9- Chegou a hora dos trabalhadores confiarem somente em suas próprias forças e construírem o instrumento político da classe trabalhadora em El Salvador para dirigir a mobilização permanente dos de baixo contra os de cima.

PORQUE NINGUÉM ME REPRESENTA! VOTO NULO 2019! VOTAMOS LUTAR!

CONSTRUAMOS O PARTIDO DA CLASSE TRABALHADORA!

San Salvador, 2 de Setembro de 2018

Tradução: Lilian Enck