COMPARTILHAR

A PLATAFORMA DA CLASSE TRABALHADORA PCT-EL SALVADOR, diante das declarações do Presidente da República e, em seguida, do secretário-geral da Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN), à opinião pública declaramos o seguinte:

1. Lamentamos e condenamos as expressões e gestos de solidariedade expressas na reunião do Fórum de São Paulo, que se desenvolve em Cuba, pelo Prof. Salvador Sanchez Ceren à ditadura Ortega Murillo e que mais tarde foi retificada pelo secretário-geral da FMLN, Medardo González.

2. Não estranha nem surpreende a postura que esses personagens adotam fingindo ignorar as graves violações dos direitos humanos e ao induzir que tudo o que acontece no país irmão, a Nicarágua, é nada mais que mero fruto do intervencionismo americano que visa desestabilizar, em suas palavras, um governo democrático e legítimo. Também não pretendemos negar ou legitimar intervenção imperialista em nossas terras da América Central. Mas, esta realidade não deve servir de pretexto para silenciar e anular quem exige, hoje, na Nicarágua e na América Central a saída de um governo que se esqueceu de seus ideais e valores e que ignora e causa o sofrimento de nossos irmãos nicaraguenses.

3. É costume do castro chavismo usar a desculpa da desestabilização estrangeira para justificar, defender e proteger seus expoentes máximos no continente. Mas a verdade sempre vem à luz e quando vemos que os aparatos de defesa paramilitar, apoiados pelo regime, massacram a população civil, esse triste argumento cai por terra, como um método que justifica o fato de que há muito tempo viraram as costas para a revolução. Estas posições confirmam mais uma vez que, em nosso país, a FMLN deixou de estar ao lado do povo e dos revolucionários e está mais interessada em se defender entre si e inclusive àqueles que gozam de proteção nos regimes que hoje defendem.

4. Exigimos do governo da FMLN e do próprio partido que parem de fazer esse tipo de apelo e que realmente escutem sua base, que em sua grande maioria condena os abusos contra o povo nicaraguense. Além disso, a população salvadorenha continua lembrando que vocês não nos representam e não podem falar por nós.

Só o povo salva o povo!

Viva a luta do povo nicaraguense!

Fora Ortega, fora Murillo, fora a FMLN!

San Salvador, 19 de julho de 2018.

Tradução: Lena Souza