COMPARTILHAR

Mais uma tragédia se abate sobre o povo brasileiro. Oito pessoas foram assassinadas dentro de uma escola em Suzano (SP) e 23 ficaram feridos entre estudantes e funcionário. Em seguida, os dois jovens responsáveis pelas mortes se suicidaram.

Por: Júlio Anselmo, Juventude PSTU Brasil

Em primeiro lugar, é preciso prestar toda solidariedade aos familiares e amigos de todas as vítimas desta verdadeira tragédia. Nossos sentimentos estão com toda a comunidade da escola estadual Prof. Raul Brasil. Exigimos que os governos prestem a mais completa assistência aos familiares e às vítimas.

A responsabilidade por mais essa tragédia é de todos os governos. O PSDB que há mais de 20 anos à frente do Estado de São Paulo não consegue garantir nem a segurança dos estudantes e trabalhadores nas escolas. Sequer uma educação pública decente, o que contribui para que se desenvolvam graves problemas no processo educacional das crianças e jovens. Basta lembrar que Dória está cortando as verbas da educação.

Já a política educacional de Bolsonaro vai agravar os problemas da educação, a reforma da Previdência vai piorar a perspectiva de vida dos jovens e sua política de segurança vai trazer mais violência. O discurso machista, racista e LGBTfóbico de Bolsonaro evidentemente está contribuindo para aumentar a violência. Enquanto libera as armas para os ricos e poderosos massacrem a população.

O senador Major Olímpio (PSL-SP) chegou a ponto de dizer que “se os  professores e serventes estivessem armados essa tragédia de Suzano teria sido evitada”. Um verdadeiro desplante e desrespeito aos professores, profissionais da educação e às vítimas dessa violência brutal.

A falta de segurança nas escolas e na sociedade em geral é alarmante. A atual política de segurança pública impulsionada pelos governos do PSDB em São Paulo, e Bolsonaro em todo o país, está agravando a violência. Querem apenas mais violência policial, mais armas, mais repressão ou militarização de escolas. O que é uma resposta midiática para o problema e não resolve. Há décadas essa é a política de segurança implementada no país que serve apenas aos ricos e poderosos.

Leia também:  CSP-Conlutas envia apoio à luta de motoristas em Portugal por direitos

O que leva dois jovens a cometer tais homicídios e suicídios é uma pergunta difícil de ser respondida. Ainda está sendo investigada a motivação dos jovens que fizeram isso. Mas as primeiras informações dizem que os dois são ex-alunos da escola e que um havia sido expulso. Mas, no geral, casos assim envolvem bullyng, situações opressivas, problemas psicológicos, etc. Inclusive um ex-professor dessa escola denunciou que a mesma tinha muitos episódios de bullyng e violência.

Esse não é o primeiro ataque deste tipo em escolas brasileiras. Nos EUA tais acontecimentos são recorrentes e cresceram nos últimos 20 anos. O fato é que, tanto o homicídio como o suicídio, são duas dais principais causas de mortes de jovens no Brasil e no mundo. No Brasil, entre 2011 e 2016 o suicídio teve aumento de 20% entre jovens de 15 e 19 anos de acordo com o Ministério da Saúde. Já a taxa de homicídio de jovens de 15 a 29 anos cresce 17,2% de 2005 a 2015.

Isso tem uma razão de ser, que é como a sociedade capitalista condena a juventude a não ter perspectiva nem de presente nem de futuro. Contribuindo, assim, para desenvolvimento de sérios problemas psicológicos como depressão, ansiedade, etc., que também vem aumentando entre os jovens.

Não há acesso à educação decente, pública e de qualidade, que consiga ajudar o desenvolvimento não só educacional, mas também psicológico dos nossos jovens. O desemprego entre jovens é bem mais alto que o dos trabalhadores em geral, chegando a 26%. Quando conseguem emprego estão submetidos à perda de direitos e uma perspectiva de vida bem pior que a que seus pais tiveram.

Não se trata apenas de um problema de segurança pública. A resposta dos governos será colocar policiais nas escolas ou militarizá-las. O que não resolve o problema e traz outros novos. Os governos não estão preocupados em resolver verdadeiramente os problemas da juventude. Não querem garantir educação, emprego, saúde e uma perspectiva de vida digna para os jovens, pois estão compromissados em garantir os lucros dos grandes capitalistas. Mudando isso podemos garantir que novas tragédias deste tipo não se repitam.

Leia também:  Vamos tomar as ruas no dia 13