COMPARTILHAR

Pelo país, trabalhadores das mais diversas categorias e ativistas do movimento popular e estudantil organizam os últimos preparativos para realizar um grande dia nacional de luta nesta sexta-feira (10). Greves, paralisações, protestos nas estradas e atos unificados estão programados em vários estados.

Por: CSP-Conlutas

Essa semana, sindicatos, centrais sindicais e movimentos populares, de luta contra as opressões e estudantis estão realizando reuniões e plenárias unificadas para organizar as ações, que devem começar cedo com mobilizações nas fábricas e locais de trabalho e se estender ao longo do dia com protestos em estradas e avenidas e atos unificados.

Em várias bases, categorias como metalúrgicos, petroleiros e servidores públicos já aprovaram greves, paralisações e protestos. Categorias como os eletricitários marcaram greve nacional e entidades de servidores públicos também aprovaram adesão ao dia 10/11.

A Fasubra (Federação de Sindicatos dos Trabalhadores em Universidades Brasileiras), Sinasefe (Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica), a Fenasps (Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social) e o Fonasefe (Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais) aprovaram paralisação nacional em 10 de novembro. O ANDES-SN também orienta paralisações e mobilizações a todas as suas seções.

A reforma trabalhista entra em vigor essa semana com graves ataques aos trabalhadores. Temer, os corruptos do Congresso e os patrões querem terra arrasada, com redução total dos direitos. O governo também não desistiu da reforma da Previdência, sem contar outras medidas prejudiciais que seguem sendo aplicadas. Somente a mobilização da classe trabalhadora pode dar um basta nesta situação”, afirma Luiz Carlos Prates, o Mancha, da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas.

O dia 10 tem tudo para ser um forte dia de luta, para mostrar que não vamos permitir a implementação dos ataques da reforma trabalhista. Mas, acima de tudo, pode preparar o caminho rumo a uma nova Greve Geral no país, que é fundamental para enterrarmos de vez as reformas de Temer. As centrais sindicais não podem vacilar neste momento. Se Temer marcar a votação da reforma da Previdência, é preciso marcar para o mesmo dia a Greve Geral”, defendeu Mancha.

Confira algumas manifestações que já estão sendo divulgadas nos estados:

SÃO PAULO
Uma reunião na sede da CUT, em São Paulo, nesta segunda-feira (6), reuniu os sindicatos que integram o Movimento Brasil Metalúrgico e representantes de todas as centrais sindicais e definiu a realização de um ato unificado nesta sexta. A manifestação terá concentração às 9h30 na Praça da Sé e sairá em passeata até a Avenida Paulista. À tarde, servidores públicos também farão protesto contra o projeto do governo Alckmin (PSDB) que congela os investimentos públicos no estado.

Fábricas metalúrgicas na capital paulista, região metropolitana e interior também terão mobilização nas primeiras horas do dia. Em São José dos Campos e região, metalúrgicos e outras categorias programam manifestações nas fábricas e em seguida sairão em caravana para o ato unificado em São Paulo.

Pelo movimento popular, a Ocupação do Jardim União, zona sul da capital, organiza um protesto pela manhã na região. Por emprego, transporte público e retomada das obras do Terminal Varginha, os moradores sairão em passeata até a obra parada da CPTM.

RIO DE JANEIRO
Centrais sindicais, sindicatos e movimentos programam um ato unificado às 16 horas, com concentração na Candelária e caminhada até a Cinelândia. A manifestação é convocada pelas centrais sindicais como a CSP-Conlutas, CUT, CGTB, CTB e Intersindical e deverá reunir petroleiros, bancários, comerciários, metalúrgicos, portuários, servidores das três esferas de governo e desempregados. Os petroleiros programam manifestação nas portas das unidades ainda pela manhã.

BELO HORIZONTE
Em várias cidades mineiras haverá mobilizações em fábricas, principalmente metalúrgicas, e um ato unificado está sendo convocado. A concentração será às 8 horas, na Avenida Barbacena (em frente à Cemig), com caminhada até a Praça Afonso Arinos, e um ato unificado às 11 horas, na Praça Sete.

Em Juiz de Fora, o Fórum Sindical e Popular, que reúne sindicatos e centrais sindicais, realiza um ato conjunto às 17 horas, em frente à Câmara. Em São João Del Rei, às 16 horas, haverá ato na Praça do Coreto, organizado pelo Sindservsc, Sinds-UFSJ, Sindmetal, Sinticom, Sintras, AdufSJ, MML e DCE.

FORTALEZA
Na tarde desta segunda-feira (6), ocorreu na sede do Sintro (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará), a Plenária Sindical e Popular convocada pelas Centrais Sindicais. Em debate a construção e fortalecimento do dia nacional de mobilizações do dia 10. Haverá um ato unificado, às 8 horas, na Praça da Bandeira, centro de Fortaleza. Nos canteiros de obras, os trabalhadores da construção civil já estão aprovando a adesão a essa dia de paralisações.

NATAL
Na capital, está sendo convocado um grande ato unificado, com concentração às 14h, no bairro do Alecrim e às 15h, caminhada até o Centro da cidade.

Os servidores estaduais da Saúde do Rio Grande do Norte entrarão em greve na próxima segunda-feira (13), sem previsão pra terminar. A decisão foi tomada em votação durante a assembleia, na manhã desta segunda (6). Os servidores exigem o salário em dia, que desde janeiro de 2016, o governo paga em atrasado, e a anulação do pacote de ajuste fiscal enviado à Assembleia Legislativa. A categoria também aprovou a participação do Dia Nacional de Paralisações e Greves, no dia 10 de novembro.

BELÉM
Ato unificado com todas as centrais está sendo convocado às 8h30, em frente ao TRT (na Praça Brasil), com caminhada até o mercado Ver-o-Peso.

PARANÁ
Ato unificado com todas as centrais às 11h, na Boca Maldita, em Curitiba.  A base do Sinditest-PR aprovou por ampla maioria adesão à greve da Fasubra por tempo indeterminado, com início no dia 10 de novembro.

SALVADOR
Em Salvador, a programação definida de forma unificada prevê: 4h – Paralisação no Polo Petroquímico e nas indústrias da região de Camaçari; 6h – Manifestação na entrada da Lapa, ao final do Dique do Tororó; 10h – Concentração no Campo Grande para passeata com destino ao Comércio; 13h – Ato em Frente ao INSS.

BRASÍLIA
Um ato unitário, convocado pelas centrais CSP-Conlutas, CGTB e NCST e sindicatos, está marcado para acontecer na Rodoviária do Plano Piloto, às 16 horas. Os metroviários do DF vão entrar em greve na quinta (9) e nesse mesmo dia vão decidir em assembleia se vão se incorporar no ato unitário.