COMPARTILHAR

“Anoitecia na cidade de Mar del Plata e o salão solene da Faculdade de Direito encontrava-se cheia. Chega o momento de testar o som. Encontro-me um tanto inquieto. Vejo que minhas companheiras, as atrizes, estão nervosas também. Umas palavras de ânimo, um abraço muito forte e a presença de nossa querida camarada Cilinha em cada um de nós nos deu o empurrão necessário para nos colocar em ação.

Por: Julieta e Nahuel

Tudo pronto, o grupo de teatro Luta Mulher Poética entra em cena mais uma vez. A emoção do público crescia e crescia. Cada cena era entusiasticamente aplaudida. O final não pôde chegar de outra maneira: acompanhado das lágrimas dos presentes e das nossas também.

Foi nossa melhor apresentação em nossa curta história, desde que o grupo formou-se em 2013, estreando no teatro Goñi, na cidade de Buenos Aires, passando por Ramos Mejía, pela Universidade Nacional de Quilmes, por Neuquén, entre outros lugares, até as últimas apresentações, convidando para o XXX Encontro de Mulheres com apresentações em Varela, em Munro e na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Buenos Aires. Já ficávamos mais tranquilos quando terminávamos, mas nunca dormindo na glória, porque esta obra não é um fim em si mesmo para nós. Nossa arte é uma ferramenta para dizer a todo o mundo que o capitalismo não vai resolver os problemas das mulheres, que só a classe trabalhadora pode encarar a tarefa de destruir esta sociedade que explora, oprime e mata milhões de mulheres todos os dias, para levantar de suas cinzas uma sociedade na qual todos os homens e mulheres sejamos livres e iguais, e que para cumprir essa tarefa devemos dar uma batalha à morte contra o machismo que nos separa. E é assim como companheiros e companheiras que nos juntamos para colocar de pé uma arte ao serviço da revolução.”

Leia também:  Não a Bolsonaro e a apologia ao turismo sexual

Faço minhas as palavras de meu companheiro Nahuel. Como militante e artista acho necessário e urgente que possamos nos organizar para dar um basta à violência contra a mulher, para acabar com a exploração, lutando por um mundo melhor. E é por isso que não só o grupo de teatro do PSTU está aberto como também o meu partido, porque é junto com você, a seu lado que queremos dar a batalha tão necessária e gigante para mudar tudo, revolucionar tudo. Luta Mulher, nossa arte está do seu lado!

Tradução: Rosângela Botelho

Leia este e outros artigos relacionados em: www.pstu.com.ar