COMPARTILHAR

Greve geral por salário e contra as demissões!

O país entrou em um caos. A economia está destruída. Trabalhadores são demitidos em todos os lugares e a inflação está fora de controle. Cada dia que Macri continue no poder será mais um de desastre para os trabalhadores e os pobres: Fora Macri já!

Por: PSTU Argentina

A Central Geral dos Trabalhadores (CGT) precisa romper com seu pacto de entrega do país e da classe operária.

É necessária uma greve nacional e um plano de luta para coloca-lo para fora, impondo um plano econômico operário e popular de emergência, com medidas essenciais contra a fome, por trabalho para todos e para defender o país, parando de pagar a dívida externa que Macri contraiu hipotecando o nosso futuro.

Devemos fazer como em 2001. Os movimentos dos desempregados já estão nas ruas. Todo o povo tem que participar.

Plano econômico de emergência:

1) Aumento de salários e aposentadorias ao custo da cesta da família (mínimo de 35.000 pesos) com cláusula de indexação mensal de acordo com a inflação real.

2) Congelamento de preços e tarifas de alimentos por um ano. Proibição de cortes de serviços básicos para famílias trabalhadoras e aposentadas.

3) Proibição de demissões e fechamento de empresas. Nacionalização de toda empresa que fechar.

4) Expropriação de bancos. Por um único banco estatal para controlar as finanças e impedir a fuga de capitais.

5) Suspensão do pagamento da dívida externa e término de acordos com o FMI.

6) Liberdade para Daniel Ruiz, Milagros Sala e todos os presos por lutar. Chega de perseguição a Sebastián Romero e outros lutadores processados.

Basta de sustentar a Macri

Alberto Fernández precisa parar de defender que Macri continue até dezembro. Não confiamos no próximo presidente, queremos um governo dos trabalhadores. Mas se derrubamos Macri nas ruas, estaremos melhor para lutar contra o FMI e frear os ataques capitalistas.

Leia também:  URGENTE| Sobre a extradição de Sebastián Romero

Tradução: Lena Souza