COMPARTILHAR

O PSTU coloca suas candidaturas a serviço do fortalecimento de uma alternativa operária e socialista, e propõe assembleias de trabalhadoras e trabalhadores para debater a formação das suas listas.

Por: PSTU, Santa Cruz – Argentina.

Frente ao aprofundamento da grave situação política, econômica e social que estão sofrendo amplos setores de trabalhadores e do povo pobre por parte das políticas do Governo Macri e seus cúmplices provinciais como Alicia Kirchner e a burocracia sindical, sustentamos a urgência de fortalecer a unidade daqueles que estão dispostos a lutar. Ao mesmo tempo construímos uma alternativa eleitoral para propor saídas socialistas de fundo para a situação que vive hoje a classe trabalhadora e o povo, começando pelo não pagamento da fraudulenta dívida ao FMI.

Desde que se conformou a FIT (Frente de Izquierda y de los Trabajadores) em 2011, o PSTU vêm contribuindo com suas humildes forças e candidaturas operárias para fortalecer as lutas em curso e uma alternativa eleitoral dos trabalhadores, independente dos patrões.

Exemplo disso foram as candidaturas de Sebastián Romero na cidade de Rosário, companheiro que hoje é perseguido pelo Governo de Macri por enfrentar a reforma da previdência nos atos em 2017. Também apresentamos o companheiro German Tonero, delegado da GM que acaba de sofrer fraude pelo SMATA (Sindicato de Mecânicos y Afines del Transporte Automotor de la República Argentina). O mesmo fizemos com os companheiros Franco Idoeta e Rodolfo Vidal, delegados da Fel Fort, e assim com vários trabalhadores e trabalhadoras que lutam todos os dias nos seus locais de trabalho.

Da mesma forma estamos fazendo este ano, impulsionando por exemplo a candidatura de Daniel Ruiz à Deputado Federal por Chubut, dirigente petroleiro e do PSTU, preso na penitenciária Marcos Paz por enfrentar a reforma da previdência em 2017, e acreditamos que Cesar Arakaki e Dimas Ponce, militantes do Partido Obrero (Partido Operário) deveriam ser candidatos federais, por também serem parte desta histórica luta contra o roubo aos aposentados.

Leia também:  Vitória da mobilização: acabam de ditar a libertação de Daniel Ruiz

Acreditamos que os trabalhadores são os únicos que podem levar adiante um modelo econômico e social em beneficio dos próprios trabalhadores, por isso, estamos convencidos que as candidaturas têm que ser de operários/as, trabalhadores/as e reconhecidos/as lutadores/as em seus locais de trabalho, como Javier Balcazar em Santa Cruz, delegado mineiro e reconhecido lutador.

Nesse sentido entendemos que para conformar uma frente eleitoral forte não basta fazer declarações, é necessário que os/as trabalhadores discutam e decidam sobre a composição das listas que vão disputar contra os candidatos da patronal, como estamos fazendo em Comodoro Rivadavia, onde colocamos a nossa legalidade a serviço da construção de um programa e de candidaturas eleitas pela base, inclusive com trabalhadores que não fazem parte da nossa organização.

Sendo assim, ao mesmo tempo ratificamos nossa vontade de somar forças à Frente de Esquerda nas eleições, fazemos um chamado a todas as organizações operárias e que se declaram revolucionárias, para que façamos uma assembleia de filiados e trabalhadores que apoiam a FIT em Puerto San Julián e toda a província de Santa Cruz para discutir e votar a formação das listas e dessa forma torná-la o mais representativa possível, colocando nas mãos de todos aqueles e aquelas trabalhadoras/es que vão lutas nestas eleições por uma alternativa operária e socialista, e vão continuar lutando no dia a dia contra os ajustes deste governo e daqueles que virão.

PARTIDO SOCIALISTA DOS TRABALHADORES UNIFICADO (PSTU).

Santa Cruz. 29 de Maio de 2019.

Tradução: Luana Bonfante