COMPARTILHAR

27 de abril: Este é o melhor relatório que eu vi sobre o trem de Atbara (no passado recente um trem saía de Atbara a Cartum uma vez a cada três semanas (ou não!).

Por: Martin Ralph, Grã-Bretanha

Https: //www.middleeasteye .net / news / sudans-city-iron-and-fire-come-capital-train? fbclid = IwAR2fTM59kX5EvKUKs9RQKvHU8sQ3rXw_eDuzB2Nt9rfv2W39NMMcgxTtiIk

Atbara, a cidade do “ferro e fogo”, está no coração da rede ferroviária do Sudão e é um centro do ativismo sindical do país. Já tinham uma história de lutas contra governantes antes e depois da independência do Sudão em 1956.

Alguns trabalhadores estão sendo citados na imprensa:

O ferroviário Ishag Ali disse que a ideia de um comboio foi discutida em oficinas ferroviárias e votada pelos trabalhadores. A ação lembra o ativismo que deu aos trabalhadores de Atbara toda sua reputação no passado. ‘Quando o trem começou a se mover de Atbara, milhares de pessoas se juntaram no caminho das cidades de Damar, Shandi e outras e até das aldeias de Jaili, Fadnia e da periferia e bairros da própria cidade de Cartum’, disse ele.”

“O veterano líder sindical Mohammed al-Gitai, 75, disse ao MEE que a cidade sofreu sob as ‘leis antissindicais’ de Bashir, com as famílias tradicionalmente empregadas na rede ferroviária, e dependentes dela, agora encontram seus filhos demitidos pelo principal empregador, a Sudan Railways Corporation. ‘Eles não gostam de ver e ouvir as demandas dos trabalhadores e é por isso que eles demitiram milhares da companhia e de outras instituições públicas por causa de suas políticas de privatização’, disse”

Depois de incluir 3 ou 4 itens do artigo da LIT, nossos amigos sudaneses postaram isso abaixo, e continuam ajudando a responder as perguntas que lhes enviamos.

Forte marcha de milhões exige imediato governo civil

26 de abril de 2019

– Dezenas de milhares de manifestantes encheram as ruas de Cartum exigindo o fim do regime militar. Entre eles muitos viajaram de todo o país para participar da marcha pelo governo civil.

– Pela primeira vez um grupo de mais de cem juízes, em suas vestes negras oficiais, participaram da passeata, exigindo o retorno ao governo civil e a um judiciário independente.

– A marcha foi convocada pela Freedom and Change Alliance, após forçar a renúncia de três figuras controversas do Conselho de Transição Militar (MTC). Uma quarta figura controversa permanece no MTC, o vice-líder Mohamed Hamdan Dagalo, comandante da milícia Janjaweed, acusado de genocídio durante a guerra civil de Darfour, que começou em 2003. Os quatro generais são conhecidos como leais partidários de Al-Bashir e têm fortes ligações com o movimento da Irmandade Muçulmana.

– O Birô Político do Partido Comunista do Sudão divulgou um comunicado na quinta-feira, 25 de abril, destacando que o MTC está manobrando para permanecer no poder e recusando-se a atender a principal demanda do povo: o poder aos representantes do povo. Além disso, a declaração pedia um governo civil imediato, prestação de contas e compensação. Convocou todos os membros do partido e as forças da oposição a redobrar seus esforços e aumentar suas ações conjuntas para derrotar as manobras e conspirações dos inimigos internos, regionais e internacionais da revolução sudanesa.

– Enquanto mais de um milhão de manifestantes ocupavam a praça em frente ao QG do exército, várias centenas de manifestantes protestavam em frente à embaixada egípcia contra a intromissão do governo do Egito nos assuntos internos do país. Esta ação teve lugar depois de o Cairo ter organizado uma reunião de alguns dos líderes da União Africana que deram ao MTC três meses para instaurar um poder civil.

Secretaria do Comitê Central do Partido Comunista do Sudão

Revolução sudanesa rejeita ajuda da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos: Fiquem com seu dinheiro

Cartum, Sudão– manifestantes sudaneses pediram que a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos “ficassem com seu dinheiro” um dia depois de Riad e Abu Dhabi oferecerem uma ajuda de US$ 3 bilhões a Cartum.

Horas depois do anúncio dos países do Golfo ricos em petróleo no domingo, manifestantes da ocupação começaram a cantar: “Nós não queremos o apoio da Arábia Saudita”.

Revolucionários de Dezembro

Manifestações em frente à Embaixada do Egito em Cartum

Tradução do discurso

Sr. Presidente da República Árabe do Egito,
Sr. Embaixador da República Árabe do Egito em Cartum

O Sudão tem uma longa história de lutas e revoluções para derrubar os ditadores. O povo sudanês, os professores, com uma civilização histórica está plenamente consciente dos papéis sujos desempenhados pelos militares egípcios, representados pelo presidente egípcio Abdel Fattah Sisi.

Estamos cientes do papel da inteligência egípcia e de seus incansáveis ​​esforços para abortar a revolução sudanesa e apoiar o regime militar no Sudão.

Nós rejeitamos completamente tudo o que prejudica a soberania do Sudão. Nós advertimos a não resistir à vontade do povo sudanês, que está agora progredindo para estabelecer um regime civil, regido pela ordem da lei, democracia e boa governança. E isso nos levará para queremos.

Temos observado atentamente a experiência do Egito em janeiro, a grande revolução que mostrou que os cidadãos egípcios amam seu país, mas ficamos tristes quando as forças das trevas se dedicaram a uma nova ditadura e humilharam o povo egípcio.

As revoluções ensinam os tiranos a não se levantar contra as aspirações e sonhos do povo, e nossa mensagem para o povo egípcio é que os miseráveis ​​na terra podem fazer alguma coisa. Nós estamos vivos, bem e nosso sonho não acabou.

Revolucionários de Dezembro

Forças da Declaração de Liberdade e Mudança

Comunicado de Imprensa

As forças da Declaração de Liberdade e Mudança receberam um convite do presidente do Conselho Militar para uma reunião no dia 24 de abril, quarta-feira, após uma série de posições, ações e promessas do conselho militar, com o comitê político liderado por Omar Zain Abidin.

As forças da Declaração de Liberdade e Mudança decidiram responder ao convite para ouvir de mente aberta, o que o presidente do Conselho Militar proporia, e para confirmar que nosso desejo é passar para uma autoridade civil transitória que reflita as forças da revolução. As demandas do movimento revolucionário de massas são demandas legítimas que não podem ser comprometidas ou retiradas.

Após a reunião, a delegação de comunicação, comissionada pelas forças da Declaração de Liberdade e Mudança, irá transmitir o resultado diretamente para o povo sudanês e para a opinião pública, e os passos seguintes para alcançar as demandas da gloriosa revolução de dezembro.

Líderes da Declaração de Liberdade e Mudança

24 de abril de 2019

Tradução: Marcos Margarido