COMPARTILHAR

Apresentação

Inicialmente, esta edição do Correio Internacional seria dedicada novamente aos cem anos da Revolução Russa. No entanto, o agravamento da situação na Venezuela levou-nos a mudar esta proposta e a destinar a maior parte do seu conteúdo para a situação desse país (ao qual já havíamos dedicado o CI nº 14, de dezembro de 2015). Acreditamos que a importância que o processo venezuelano tem na realidade latino-americana e mundial, o peso político que chegaram a ter Chávez e o chavismo e os intensos debates dentro da esquerda justificam essa definição.

Procuramos abordar o tema a partir de diferentes aspectos. O artigo “Do Caracazo à crise atual” percorre a história venezuelana nas últimas décadas e o papel do chavismo nesse contexto, no marco do modelo de acumulação capitalista rentista petroleiro semicolonial.

Um segundo artigo aborda a verdadeira catástrofe social que os venezuelanos vivem sob o governo de Maduro, enquanto a declaração da UST (Unidade Socialista dos Trabalhadores) analisa a situação política do golpe que este governo está dando através da Assembleia Constituinte antidemocrática. O desenho da realidade venezuelana se completa com o artigo de um jovem professor que simpatizou com o Chavismo e que foi obrigado a emigrar para o Brasil para ajudar a sustentar sua família na Venezuela.

Outro material analisa o modelo econômico entreguista aplicado pelo chavismo, especialmente a entrega de grandes territórios na região oriental do país (próximos ao rio Orinoco) para exploração de minérios e petróleo por empresas estrangeiras.

O artigo seguinte analisa as características dos chamados regimes bonapartistas sui generis e seu processo de degradação e degeneração na Venezuela e em outros países do mundo. Nas páginas centrais, abordamos os intensos debates que a atual realidade Venezuelana gera dentro da esquerda latino-americana e mundial.

A Revolução Russa não podia estar ausente e dedicamos dois artigos a ela. O primeiro é um debate com aqueles que identificam o bolchevismo com o stalinismo. O segundo é uma reivindicação do papel de Trotsky e dos trotskistas na luta contra o stalinismo.

Finalmente, anunciamos com orgulho e alegria a pré-estreia em Buenos Aires (que em breve será apresentado no Brasil e em muitos outros países) do filme Pão, Paz e Terra, uma co-produção da Editora Lorca em homenagem aos 100 anos da Revolução Russa.

O EDITOR