COMPARTILHAR

A família Garzon Ardila, a Associação de Familiares e Amigos de Pessoas Desaparecidas no Equador (Asfadec) e a Fundação Regional para os Direitos Humanos (INREDH) convidam a mídia para uma coletiva de imprensa “Ação judicial contra o Estado Equatoriano na Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) pela violação dos direitos à verdade e à justiça na investigação do desaparecimento de Stephany Carolina Garzón Ardila”, jovem colombiana de 22 anos que foi vista pela última vez em 28 abril de 2012, no setor de Paluco, Monja, em Quito, Equador.

Acompanhados por um protesto, a família de Carolina e as organizações de direitos humanos anunciarão a ação nesta terça-feira, 30 de abril de 2019, às 10h, do lado de fora da Procuradoria Geral do Estado. Isso no contexto dos 7 anos do desaparecimento de Carolina, jovem jornalista, artista, defensora de direitos humanos e militante do Partido Socialista dos Trabalhadores na Colômbia.

Em 19 de março de 2012, Carolina entrou no Equador pela quarta vez. Iria ficar em Quito por três meses, um lugar que ela amava por causa de sua cultura e identidade. Depois, iria ao Brasil para um encontro de estudantes e retornaria a Bogotá para a Universidade Distrital, onde terminaria seus estudos de Licenciatura Básica com ênfase em Educação Artística.

Desde o sábado, 28 de abril de 2012, seu paradeiro é desconhecido. A última vez que foi vista eram 13:00hs, quando Carolina entrou no banheiro da casa onde morava e a partir desse momento ninguém mais ouviu falar dela.

O Estado equatoriano até hoje, 2557 dias, não tem uma hipótese possível que prove tecnicamente o que poderia ter acontecido com a minha filha Carolina, muito menos sabe que fatos cercam esta tragédia, nem quem são os possíveis responsáveis, diz Alix Ardila, mãe da jovem de Bogotá.

Leia também:  Declaração: A crise migratória mostra a barbárie inerente ao imperialismo

Em Bogotá

Na próxima terça-feira, 30 de abril, às 9h30, será realizado um protesto em frente ao Ministério das Relações Exteriores da Colômbia para exigir que o governo responda pela investigação sobre o desaparecimento de Carolina; a assistência internacional e a cooperação binacional.

Contato de imprensa:

Alix Ardila, mãe da Carolina, 0995442243

Elizabeth Rodríguez, vice-presidente da Asfadec, 0983826975

Comunicação Inredh – 0992058210

Fonte: https://asfadec.blogspot.com/2019/04/familia-de-carolina-garzon-demandara-al.html

Tradução: Lena Souza