COMPARTILHAR

Passaram 8 meses da nossa prisão, 8 meses de muito aprendizado, mas especialmente 8 meses que, apesar do assédio, nosso camarada ainda pode ser livre contra todo o aparato estatal que o persegue, a isso eu chamo de resistir e vocês fazem isso de forma heroica.

Por: Daniel Ruiz

Talvez com a nova recusa à minha liberdade por parte da justiça burguesa corrupta nos desanimemos e talvez o governo com esta nova recusa queira minimizar as vitórias da campanha, como a coletiva de imprensa, o ato de 1º de maio, a visita à prisão e o ato no Congresso.

Mas olhar só para isso é a aparência, em essência nossa luta teve, no central, um grande êxito porque, em suma, nosso caminho é a luta e a paralisação de Moyano e as CTAs, a paralisação dos universitários, dos médicos, da ATE, e a próxima greve geral da CGT colocam a prova nosso papel.

O governo não está bem e é produto de toda resistência popular, operária e das mulheres, e nessa resistência o papel do PSTU e da LIT por mim e por Sebastián foi parte do conjunto das lutas.

Estamos em momentos de definição, pode ser que termine minha prisão, mas diante das próximas lutas, mesmo que me mantenham prisioneiro, minha felicidade, nossa felicidade estará nas ruas e nas estradas, lá em nosso território podemos dizer que o PSTU e a LIT-QI são os que marcam um caminho, um perfil e que todos saibam que meu partido nunca está vencido, ainda que vencido.

Só peço a todos mais um esforço, temos de nos livrar da raiva acumulada pelas demissões no petróleo, na General Motors, na PepsiCo, na Pilkington, pelo corte dos aposentados, pelos jovens e  por nossas companheiras.

Leia também:  Argentina | Descriminalizar ou legalizar o aborto?

Dizem que a prisão e o confinamento estressam a mente, dizem aqueles que nunca tiveram o estresse de não ter o que comer e perder o seu trabalho. Que pouco conhecem a classe porque o que liberta é a organização e apesar de estar preso aqui tive a sorte de continuar organizando e quando ficamos sem água por 5 dias na penitenciária fizemos uma reivindicação na terça-feira passada conseguindo dispensadores e água potável em galões. Estresse eles dizem … bem, com camaradas como vocês, é difícil para mim me preocupar com isso, nós seremos o que escolhemos ser, revolucionários que enfrentam o capital até a morte e, por isso, apesar dos golpes estamos de pé.

A luta de classes nos oferece uma nova rodada, a próxima greve geral. Como sempre confio em todos vocês, façam o que sabem sem piedade pelos patrões ou o governo, e muito menos pelos reformistas e burocratas. Eu aqui, me preparo para os futuros combates e estarei ao comando de vocês, meus camaradas e os seguirei orgulhosamente porque todos esses meses de luta colocaram cada um de vocês   num papel superior por todo o aprendizado e ações que concretizam.

Com admiração e respeito! Nenhum passo atrás! Viva a LIT!

Daniel Ruiz 18/05/2019

Tradução: Lena Souza