COMPARTILHAR

Na última quarta-feira, 12 de Junho, nas instalações de um hotel no centro da cidade de Buenos Aires, foi apresentado à chapa presidencial Nicolás del Caño-Romina del Plá, as eleições de 2019, em nome da frente eleitoral Frente de Esquerda e dos Trabalhadores – Unidade (FIU), fruto do acordo entre a Frente de Esquerda e dos Trabalhadores (FIT) e o MST (Movimento Socialista dos Trabalhadores). Esta frente, à qual o PSTU adere e também faz parte, foi apresentada na Capital de nossa província (Rawson, Chubut) na quinta-feira, 13 de junho.

Apresentando um programa por um governo das/os trabalhadores, contra as políticas de ajuste e repressão, pela ruptura com o FMI, o não pagamento da dívida externa, a nacionalização do petróleo e do gás, bem como de todo o sistema energético (distribuição, transporte e comercialização), nacionalização da banca e do comércio exterior para frear a fuga de capitais e à apropriação do arrendamento de terras e os recursos naturais por parte dos monopólios e do capital imperialista.

E com o firme apoio para que o aborto legal seguro e gratuito se transforme em lei, como parte do setor majoritário da esquerda nos apresentamos neste espaço de unidade, o qual valorizamos, entendendo que cada voto à Frente de Esquerda e dos Trabalhadores – Unidade é um voto a menos para os partidos do ajuste que representam os patrões com a convicção de que a crise será paga por aqueles que a geraram: os grandes patrões, os banqueiros, os latifundiários e o imperialismo e não os trabalhadores.

Queremos desenvolver uma frente de luta para que os setores populares não tenham que optar pelo governo dos off shore e CEOs patronais ou pelo mal menor dos diversos peronismos, campeões do festival das panquecas – ou seja um dia diz uma coisa e depois diz outra completamente diferente -, que tem votado a favor das leis de ajuste do governo de Macri.

Leia também:  Mercosul e União Europeia: Um passo a mais para virar colônia

Além do programa político apresentado, de conteúdo anti-imperialista, anticapitalista, operário, popular e socialista, reivindicamos que o mesmo se veja refletido com a candidatura a deputado nacional pela província de Chubut de nosso companheiro do PSTU, o trabalhador petroleiro e ativista do sindicato Daniel Ruiz, preso político por ter participado ao lado de 400.000 companheiros/as, das mobilizações contra a Reforma da Previdência, em dezembro de 2017, que, uma vez aprovada causou um roubo na aposentadoria dos trabalhadores e dos aposentados.

É o que o companheiro Nicolás del Caño expressou no encerramento do ato, destacando que nas listas da FIU de Chubut está o nosso companheiro Daniel Ruiz.

Isto nos enche de orgulho e nos dá mais forças para redobrar a campanha pela liberdade de Daniel e pelo fim da criminalização e perseguição a uma infinidade de lutadoras e lutadores, e por sua vez encontrem uma opção eleitoral na Frente de Esquerda e dos Trabalhadores – UNIDADE.

PSTU Chubut

Comodoro Rivadavia, 14 de Junho de 2019.

Tradução: Rosangela Botelho