Domingo 31 de outubro foi realizada em Roma a assembléia nacional dos ativistas da Usb (União Sindical de Base) que firmaram na ocasião do congresso de fundação da Usb, o documento intitulado “Contribuição pela batalha por um sindicato de classe”. A assembléia contou com a participação de 50 ativistas sindicais, representando quase todos os setores sindicais das várias regiões que contribuíram na elaboração e na difusão do documento.
Dentre os representantes presentes no domingo recordamos em particular: os funcionários públicos de Vicenza, Usb de Latina ( com uma representação do comitê operário contra o Amianto), Usb Escola Emília Romana (Bolonha, Reggio Emilia, Modena), Usb Bergamo (ativa na rede operária de Val Seriana), Usb Cremona ( incluindo uma delegação operaria do estabelecimento Marcegaglia), UsB bens culturais de Firenze, ativistas Usb da Puglia ativos na coordenação dos precários em luta contra os cortes de Vendola. Para a assembléia enviaram sua saudação, na perspectiva de uma futura colaboração, o comitê de imigrantes da Itália, um representante da S.I Cobas, coletivos estudantis e vários setores políticos e sindicais interessados em construir uma oposição à política patronal de centro direita e de centro esquerda burguesas. 
A assembléia, que teve discussões densas sobre propostas diversas de articulações da batalha sindical, foi organizada coerentemente com princípios da democracia operária, expressas no documento difuso no congresso da Usb. Cada proposta foi discutida e colocada em votação: é importante que também nas regras, o bloco se construa coerentemente com os princípios que pretende proclamar. 
Depois de um debate de algumas horas, a assembléia de 31 de outubro aprovou as seguintes decisões:
 
– Construir um bloco classista no interior da Usb, chamado “ Unir as lutas – Bloco Classista Usb”. O bloco se constrói sobre os princípios expostos na plataforma (discutida e votada na assembléia).
– Informar os organismos dirigentes nacionais da UsB da constituição do bloco, pedindo a publicação da plataforma constitutiva no site nacional do sindicato. 
– Promover nas próximas semanas assembléia de apresentação do bloco em todas as federações provinciais da Usb.
– Organizar na próxima primavera uma assembléia nacional do bloco recém formado, aberta aos ativistas de todos os sindicatos de base e dos setores classistas dos outros sindicatos, no intuito de construir uma interlocução constante e uma intervenção coordenada para a batalha por um sindicato de classe.   
– Realizar uma manifestação de solidariedade aos operários de Triviglio que contestaram a Cisl e agora enfrentam sanções dos dirigentes da FIOM.    
A assembléia também discutiu e no final votou uma coordenação nacional do bloco constituída por 9 companheiros que representam os principais setores que assinaram o documento difundido no congresso fundancional da Usb. A coordenação foi composta pelos companheiros Riccardo Bocchese, Stefano Bonomi, Patrizia Cammarata, Emilio Danieli, Angelo Frigoli, Ruggero Mantovani, Giuseppe Raiola, Fabiana Stefanoni, Maria Teresa Turetta. A coordenação, que tem a tarefa de organizar as iniciativas e intervenções de “Unir as lutas – Bloco Classista da Usb” até a próxima assembléia nacional, é revogável toda vez que a assembléia for convocada. A assembléia poderá sempre se expressar em relação aos membros da coordenação sobre os critérios pelos quais eles são nomeados.
A assembléia votou enfim, uma moção de solidariedade aos trabalhadores imigrantes em greve e que no dia 29 de outubro em Brescia  sofreram uma pesada repressão policial por terem organizado uma iniciativa de protestar contra a exploração. A moção se encontra no site: www.sindacatodiclasse.org.
 
Tradução: Rogério Freitas