Nesta semana a população da província de Al-Mahra, no Iêmen, se mobilizou contra a construção de uma base militar saudita na região, como noticiou a Al Jazeera.

Por: Fábio Bosco

Al-Mahra fica na fronteira com Omã e está sob o controle militar de forças sauditas e dos Emirados Árabes desde dezembro de 2017.

Setenta por cento de todas as importações do Iêmen hoje vêm de Omã e passam pela região, que é estratégica.

Além da base militar para exercer controle sobre a área, o governo saudita tem planos de construir um oleoduto e expandir o terminal marítimo. Esses projetos são vistos com desconfiança pela população, que enxerga a intervenção saudita como principal responsável pela destruição do país e pela grave crise humanitária a que estão submetidos 22 milhões de iemenitas.

Não é a primeira vez que a população vai às ruas contra a crescente presença saudita. Em abril deste ano já houve protestos.

Além da redução da presença militar saudita e dos Emirados Árabes, a população quer retomar o controle do porto e do aeroporto locais.

  • Fabio Bosco escreve regularmente para o programa Opinião Socialista – Mundo Árabe