O furacão e a consequente tempestade tropical ETA estão devastando Honduras e, apesar de ser um fenômeno natural, no manejo da crise fica evidente a absoluta inépcia e desinteresse da narcoditadura de Juan Orlando Hernández (JOH) para resolver os problemas mais sentidos pelo povo hondurenho. Isso foi demonstrado na crise de saúde causada pela Covid-19, e agora em face desta catástrofe onde milhares de hondurenhos arrasados pelas enchentes. Uma situação que se espera ser pior do que o furacão Mitch em 1998, 22 anos atrás.

Por: PST Honduras

A ditadura dos saques e corrupção anunciava a semana “Morazánica” e suspendia as restrições à circulação contra Covid-19, ao mesmo tempo que o Centro Nacional de Furacões alertava sobre a tragédia iminente. Isso não é um erro de cálculo, é a lógica de priorizar o lucro dos empresários do turismo em detrimento da vida da população trabalhadora. O governo negligenciou conscientemente as medidas preventivas, para implorar à comunidade internacional pela tragédia. O que se confirma por sua indiferença em ajudar milhares de pessoas que estão com água no pescoço.

No Partido Socialista dos Trabalhadores, responsabilizamos diretamente o governo pela catástrofe e, ao mesmo tempo, condenamos a atitude cúmplice do partido Liberdade e Refundação (LIBRE) e de toda a falsa oposição, pelo seu silêncio e passividade, coerentes com o pacto de governação que mantêm com o regime, que também não perdem a oportunidade de fazer campanha eleitoral. Conhecendo JOH, não descartamos que use a profunda crise como pretexto para suspender as eleições e continuar no governo. Portanto, a única maneira é a saída imediata de JOH e de toda a máfia que literalmente nos está matando ou deixando se afogar. Só um governo formado por conselhos populares pode zelar pelos verdadeiros interesses dos mais pobres.

Chamamos a estender toda solidariedade nacional e internacional com nossos irmãos e irmãs de classe, que foram afetados pela tempestade tropical ETA.

“Só o povo salva o povo”!

Tradução: Lena Souza