Na manhã desta segunda-feira, 19, faleceu nosso companheiro, camarada e amigo Gilberto Antônio Gomes, o Giba

Por PSTU Minas Gerais

Giba era trabalhador, operário, negro, um incansável revolucionário socialista.

Foi internado na semana passada na UPA de Ibirité, onde os médicos trabalhavam possíveis diagnósticos (síndrome de Guillain-Barré, um tumor no pâncreas e Covid-19). Na noite deste domingo foi intubado e veio a falecer na manhã desta segunda, 19. No laudo foi apontado insuficiência respiratória grave, parada cardiorrespiratória e hipoglicemia não especificada. Ele foi vítima também do colapso do sistema de saúde, produto desse genocidio e da pandemia descontrolada que estamos vivendo no Brasil.

Nosso companheiro deixa um filho e uma filha, irmãos, muitos amigos – boa gente que era – e muitos camaradas de luta espalhados por todo o país.

Giba desde muito cedo fez parte da luta de sua classe. Em 1978, durante o regime militar, foi um dos ativistas da greve da Toshiba em Contagem. No ano de 1984, então militante da Convergência Socialista, corrente que mais tarde faria parte da construção do PSTU, participou da chapa de oposição do Sindicato dos Metalúrgicos de Belo Horizonte-Contagem, que derrubou os antigos pelegos da entidade.

Giba dedicou sua vida à luta em defesa dos interesses da classe operária, entregou à essa luta sua força, sua energia, sua emoção e sua alegria. Sim, sua alegria! Porque Giba era um cara alegre, de sorriso fácil, típico daqueles que não se deixam abater pelas adversidades que o capitalismo impõe. Adorava uma “resenha”. Na verdade, era o chefe da resenha. Presença certa, “figura carimbada” nas rodas de conversa, nos encontros, e nos bares da vida. De um coração enorme. Giba era aquele tipo humano sempre preocupado com seus camaradas muito mais do que consigo próprio.

Foi militante e dirigente das lutas sindicais dos trabalhadores mineiros e do país. Foi dirigente do sindicato dos metalúrgicos de Belo Horizonte e Contagem; ajudou a fundar e foi dirigente por muitos anos da Federação Democrática dos Metalúrgicos de Minas Gerais; foi também fundador e dirigente nacional da CSP-Conlutas.

E toda a trajetória de luta deste camarada esteve sempre dedicada, em primeira e última instância, à luta pelo socialismo. À luta para acabar com toda forma de exploração e opressão do capitalismo. Foi militante da Convergência Socialista; fundador e dirigente do PSTU, uma vida inteira dedicada à construção do partido revolucionário, e de uma internacional revolucionária – a Liga Internacional dos Trabalhadores – Quarta Internacional (LIT-QI).

É um orgulho para todos que convivemos com ele, termos podido compartilhar uma parte da nossa vida com a dele. E é uma tristeza imensa ter de encarar sua partida, assim como é imensa a dor causada pelo vazio que ele deixa.

Mas nós sabemos que o que Giba iria querer de nós agora é que continuássemos a luta. Então haveremos de transformar toda essa tristeza e toda essa dor em força. Força para levarmos adiante, ainda com mais determinação, a luta que trouxemos juntos até aqui.

Assim, ao mesmo tempo que abraçamos seus familiares e amigos, que enviamos a eles toda a nossa solidariedade, queremos reafirmar que Giba – sua lembrança e seu legado – seguirá conosco na luta. Até o socialismo!

Camarada Giba!

Até o socialismo, sempre!

Contagem, 19 de abril de 2021

PSTU – Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado