Chamado às organizações sindicais e populares, partidos políticos, comprometidos com a democracia e os direitos humanos

No dia 13 de agosto, sábado, às 15:30h, no bairro popular de Fort National (Porto Príncipe), na saída de uma reunião do Movimento pela Liberdade, Igualdade dos haitianos para a Irmandade (MOLEGHAF), um grupo de homens armados assassinaram covardemente Davidtchen Siméon. Ele era um jovem militante, de 23 anos, da organização popular progressista MOLEGHAF, muito comprometido com a luta contra as forças de ocupação da ONU (MINUSTAH), o imperialismo e a opressão dos trabalhadores pelo capital transnacional.

É importante destacar que, alguns dias antes desse assassinato revoltante, nos dias 10 e 11 de agosto, Davidtchen tinha sido violentamente espancado e ameaçado pela polícia.

O motivo desses atos de barbárie foi que, em um primeiro momento, Davidtchen Siméon tinha manifestado a sua posição crítica em relação a um projeto de construção de edifícios e uma avenida que a UNOPS – uma agência da ONU – executava no seu bairro e, em um segundo momento, ter denunciado os miseráveis salários dos operários que trabalham nas obras.

Na verdade, como é de conhecimento público, no Haiti sob a ocupação a execução de projetos em bairros pobres é feita muitas vezes com o uso de capangas para intimidar a população.

O MOLEGHAF, a organização da qual Davidtchen fazia parte, é conhecido no Haiti por sua luta em defesa da soberania nacional e pela retirada das tropas da MINUSTAH, pois sem isso considera que não pode haver condições para o exercício real da democracia.

Mas, independentemente das opiniões políticas que possam ter sobre essas questões, o assassinato de Davidtchen deve ser condenado, fortemente, por todos os que estão comprometidos na defesa da democracia e dos direitos humanos mais elementares.

Nesse sentido, nós, que participamos da mesa da Conferência-Debate sobre a ocupação do Haiti, reunidos em Porto Príncipe, na sexta-feira, 19 de agosto de 2016, na sede do Escritório de Advogados Internacionais (BAI), localizada no número 3, 2do. Impasse Lavaud, Lalue, apelamos à solidariedade nacional e internacional de todas as organizações. Chamamos a se posicionarem exigindo das autoridades competentes, em especial do Ministério da Justiça e Segurança Pública, do Instituto de Proteção do Cidadão (OPC) e do Inspetor Geral da Polícia Nacional do Haiti (PNH), a identificação e condenação dos autores materiais e intelectuais do assassinato de Davidtchen Siméon.

Abaixo a ocupação, abaixo a barbárie! Fora a MINUSTAH!

Em defesa da democracia, contra a barbárie: punição dos responsáveis pelo assassinato de nosso companheiro Davidtchen Siméon!

Envie suas mensagens (com cópia para os primeiros signatários) para:

Ministério da Justiça e Segurança Pública / Ministère de la Justice et de la sécurité publique (MJSP): Av. Charles-Summer 18, Port-au-Prince

Inspetor Geral da Polícia Nacional / Inspection Générale de la Police Nationale d’Haïti (PNH) : 07 Autoroute de Delmas (zone Delmas 2, Haïti)

Instituto de Proteção do Cidadão / L’Office  Protecteur  Citoyen (OPC): Av. John Brown, Lalue (Port-au-Prince), tels (+ 509) 2940 3065/ 3702 0656, email : [email protected][email protected]

Tradução: Lena Souza