Por: Juventude Revolucionária e Aliança dos Trabalhadores do Paquistão

Chamamos a classe trabalhadora do Paquistão e do mundo a apoiar os trabalhadores contra a privatização da PIA. O FMI pressiona o governo paquistanês para privatizar a PIA para pagar parcelas pendentes de empréstimos com o FMI.

Há 15 dias, o representante do FMI para o Paquistão, Tokhir N. Mirzoev, ordenou que a PIA fosse privatizada para pagar um empréstimo que já foi pago muitas vezes. De acordo com relatórios oficiais, cada dólar emprestado representa 17 dólares de juros. Esta é uma taxa de juros ainda maior que a cobrada normalmente. Cada criança paquistanesa nasce devendo 570 dólares ao FMI. É a lei das selvas.

As políticas sanguinárias do imperialismo mostram que este sistema está completamente em crise em todo o mundo e, em todos os lugares, suas táticas para superar a crise são a imposição de impostos e a privatização de setores públicos contra os trabalhadores. Essas políticas estão destinadas a atacar as conquistas dos trabalhadores, a cortar os orçamentos dos setores sociais como educação, saúde, infraestrutura, transporte etc. E é por isso que nossa luta é uma luta de classes e tem um caráter internacional quando nossos inimigos nos atacam internacionalmente. Por isso, devemos organizar uma campanha internacional de luta e solidariedade contra as políticas imperialistas.

Contexto

Em 25 de janeiro de 2016, após a lei de privatização ser aprovada pelo Congresso Nacional, a Comissão de Ação Comum pela PIA convocou protestos que ocorreram no dia seguinte em várias cidades do país, como Lahore, Karachi, Multan e Quetta. Foi realizada uma manifestação em frente à sede da empresa, com a participação de empregados e pilotos. As operações de voo foram  completamente paralisadas em 2 de fevereiro de 2016, quando palavras de ordem contra a privatização foram cantadas: Abaixo a diretoria da PIA. Abaixo a comissão ministerial de privatização. Abaixo o capitalismo. Abaixo o FMI. Por aumento de salários dos trabalhadores. Abaixo as políticas do capital e do imperialismo. Pelo socialismo. Viva a luta dos trabalhadores. Pela unidade dos trabalhadores de todo o mundo. Educação e saúde gratuitas para todos.

Os trabalhadores da PIA provaram em entrevistas pela TV que não existe déficit na PIA, mas os trabalhadores recebem apenas 17% da receita total, incluindo os funcionários dos escritórios. O governo fica com 83%, enquanto presidentes da empresa e ministros apropriam-se do capital da PIA, como o ministro do Petróleo e Recursos Naturais, Shahid Khaqan Abbasi, que foi presidente da PIA em 1997-99. O que ele fez? Ele fundou sua própria empresa de aviação (Blue Air), sendo seu primeiro Diretor Executivo. Agora, a Blue Air é a principal concorrente da PIA em voos internacionais. Os trabalhadores explicaram que os chefes nomeados pelo governo, que não são técnicos e não têm experiência, é uma das principais falhas do setor.

Os protestos aumentaram a cada dia entre 25 de janeiro e 2 de fevereiro, quando outros trabalhadores e jovens juntaram-se aos trabalhadores da PIA, e quando foi anunciado o cancelamento de todos os voos e o fechamento de todos os aeroportos, apesar da imposição pelo governo da Lei de Serviços Essenciais e do banimento do sindicato dos trabalhadores da PIA por 6 meses. O fechamento ocorreu por 3 dias seguidos.

Na tarde do dia 2, o governo atacou os trabalhadores e matou 4 pessoas, além de ferir muitos outros e prender vários líderes do movimento.

Chamamos os trabalhadores e organizações sindicais nacionais e internacionais a apoiar este movimento operário. Se ele for derrotado, o movimento da classe trabalhadora será atacado em toda a região, porque este é o Estado mais reacionário contra os trabalhadores e os ativistas políticos.

Exigências:

Não à privatização. Nacionalização de todos os setores públicos sob o controle de comissões de trabalhadores.

Fim da comissão de privatização.

Libertação dos trabalhadores presos.

Fim do assassinato de trabalhadores. Pela demissão do Inspetor Geral da Polícia e do ministro da privatização e julgamento e punição dos assassinos de trabalhadores.

Revogação de Lei presidencial de privatização.

Revogação da Lei de Serviços Essenciais.

Abaixo as políticas do FMI.

Por uma greve geral.

Chamado a:

Trabalhadores de outros setores que se solidarizam contra a privatização.

Todas as organizações juvenis e partidos políticos contrários à privatização devem se juntar aos protestos dos trabalhadores.

Organizações sindicais internacionais contrárias às políticas do FMI e do Banco Mundial para que se solidarizem com a classe trabalhadora do Paquistão.

Todos os trabalhadores devem se organizar em comissões de trabalhadores para a luta nacional e internacional.

Tradução: Marcos Margarido