qui jul 18, 2024
quinta-feira, julho 18, 2024

Hapag Lloyd: uma máquina de exploração a serviço de Luksic

Enquanto o aumento do custo de vida ataca duramente a vida de cada trabalhadora e trabalhador, algumas famílias bilionárias ficam cada vez mais ricas. É o caso da família Luksic, a mais rica do país. Esta família tem negócios em diferentes ramos da economia, sendo alguns dos principais o setor financeiro (Banco do Chile), alimentos (CCU), mineração do cobre (Antofagasta Minerals) e exportação-importação (Vapores-Hapag Lloyd).

Por: David Espinosa – MIT Chile

Neste breve texto queremos tomar somente esta última empresa, que se transformou em um dos investimentos mais lucrativos do grupo.

A Companhia Sulamericana de Vapores é uma Sociedade Anônima que pertence ao grupo Luksic. Vapores tem como único negócio participar do controle de outra empresa, a alemã Hapag-Lloyd.[1] Hapag Lloyd é a quinta maior companhia marítima do mundo e a maior transportadora alemã de containers. A empresa possui 151 navios de carga e tem uma dotação de 14.200 trabalhadores, divididos em 135 países ao redor do mundo.

Em 2022, Hapag Lloyd teve lucros de US$ 20,5 bilhões.[2] Essa soma se refere ao Ebitda, o conjunto dos lucros antes do desconto de impostos, taxas e pagamentos de dívidas.

Se calcularmos, a partir do Ebitda, o lucro produzido por cada trabalhador durante o ano de 2022, chegaremos à impressionante soma de $1,4 milhão de dólares. Ou seja, cada trabalhador da Hapag Lloyd gerou quase um milhão e meio de dólares de lucros para os donos da empresa. Em pesos chilenos, estamos falando de mais de um bilhão de pesos.

Por sua vez, a Companhia Sulamericana de Vapores possui 30% da Hapag Lloyd. Seus lucros foram cerca de U$5,5 bilhões. Desses U$5,5 bilhões, Vapores distribuiu 2,5 bilhões em dividendos aos seus acionistas. [3] O grupo Luksic controla cerca de 66,4% das ações da Vapores, o que lhe deu mais ou menos 1,66 bilhões de dólares em dividendos.[4]Para se ter uma ideia, isso equivale a 156 anos de salário de um trabalhador chileno que ganha 700.000 ao mês ou 268 anos de um trabalhador que ganhe o salário mínimo (410.000).

Além dessa soma, Andrónico Luksic ganhou, pelo seu cargo de diretor na CSAV, mais de 1,7 milhões de dólares. Soma semelhante ganharam outros executivos da empresa, como o odioso Hernán Büchi Buc, ex-ministro da Fazenda de Pinochet e ex-candidato presidencial pela UDI-União Democrática Independente nas primeiras eleições democráticas, em 1989.

Existe alguma coisa no mundo que justifique que uma família e seus empregados ganhem essa quantidade de dinheiro em um ano? São muito mais inteligentes que os 14.200 trabalhadores da Hapag Lloyd? Se esforçaram mais? Evidentemente que não.

Essa enorme fortuna não vem do seu trabalho. O único “trabalho” de Luksic e seus executivos é administrar essa riqueza, ou seja, administrar uma máquina de exploração de milhares de trabalhadores. E aqui estamos nos referindo somente a uma dasempresas do grupo Luksic.

Bilionários como Luksic são verdadeiros parasitas da classe trabalhadora. Com essas enormes fortunas, além de viver como reis, controlam os partidos políticos, a mídia, corrompem os funcionários do Estado, as polícias, militares, etc. Ou seja, através de seu controle sobre a propriedade das grandes empresas, controlam o Estado, que está totalmente a seu serviço. Por isso, entram governos, saem governos, as mudanças são mínimas, porque os reais detentores do poder são um punhado de famílias e seus lacaios.

Por isso, a única medida possível para mudar a sociedade e solucionar os problemas dos trabalhadores e do povo pobre, é acabar com esses grandes monopólios, estatizando os grandes grupos econômicos e colocando-os sob controle da classe trabalhadora. Por sua vez, é necessário destruir completamente o Estado atual, que está a serviço desses grupos e construir um Estado da classe trabalhadora, com uma real democracia, onde cada trabalhador possa decidir não apenas em quem votar, mas o que produzir e como distribuir os frutos de seu trabalho.


[1]  CSVA é uma antiga companhia marítima chilena, fundada em 1872. Em 2014, a empresa se fundiu com a alemã Hapag Lloyd. Durante a ditadura e sob o comando de Ricardo Claro, dono do poderoso grupo econômico chileno Claro, a empresa colaborou com a ditadura, colocando 2 navios à disposição da Armada. O navio Maipo foi usado para transferir presos políticos para o campo de concentração de Pisagua, enquanto o navio Lebu se transformou em um cárcere flutuante e centro de tortura.Ver https://www.memoriaviva.com/empresas/Compania_Sudamericana_Vapores.htm ; https://radio.uchile.cl/2021/11/15/buque-lebu-la-siniestra-historia-de-la-carcel-flotante-es-revivida-con-un-libro-y-una-exposicion/

[2] https://www.hapag-lloyd.com/en/company/press/releases/2023/03/annual-report-2022.html#:~:text=Hapag%2DLloyd%20today%20published%20its,billion%20(EUR%2017%20billion).

[3] https://csav.com/wp-content/uploads/2023/03/Estados_financieros_PDF90160000_202212.pdf. Ver p. 8

[4] https://csav.com/wp-content/uploads/2023/04/17-04-2023-Memoria-Integrada-Anual-CSAV-2022.pdf

Tradução: Lílian Enck

Confira nossos outros conteúdos

Artigos mais populares