qua ago 10, 2022
quarta-feira, agosto 10, 2022

Grã-Bretanha | Grande apoio à greve ferroviária em seu terceiro dia

O verão em que se constrói o descontentamento

Por: Liga Socialista Internacional

Mais de 20 eventos, organizados pelo RMT[1] e seus apoiadores, aconteceram no terceiro dia da greve dos ferroviários britânicos (25 de junho), com a participação de muitos sindicatos e suas bandeiras na Inglaterra, Escócia e País de Gales. Todos contra cortes em salários, empregos e aposentadorias.

Um correspondente relatou: “Uma fantástica demonstração de apoio ao piquete do RMT esta manhã na Estação Swansea com mais de 70 pessoas e oradores da RMT e de vários sindicatos (Unite, Unison, ASLEF, CWU Postal, CWU Telecoms, USDAW)”. Outros relatórios relatam que havia 200 em Manchester e 300 em Liverpool.

Houve uma manifestação em King’s Cross, em Londres, onde trabalhadores grevistas do Hospital St George em Tooting (que estão em luta salarial) apoiaram várias centenas de trabalhadores ferroviários e ativistas em uma manifestação nessa estação, em Londres. Os trabalhadores do hospital GMB estão pedindo que seu chefe Mitie seja demitido e que os contratos de funcionários sejam assumidos internamente pelo Hospital NHS Foundation Trust.

Muitas mensagens se referiam à refutação do dirigente Mick Lynch aos ataques ao RMT e à greve na televisão e nas redes sociais, que conseguiu transformar os conservadores e seus assessores de imprensa em motivo de chacota. Assim como os conservadores, os liberais democratas atacaram a greve do RMT, enquanto o líder trabalhista Starmer se opôs ao apoio aos piquetes, e o líder trabalhista David Lammy condenou as greves como “prejudicando os trabalhadores“. Os conservadores estão liderando uma guerra de classes. Seus tenentes os apoiam.

Em seu discurso em um dos eventos, Mick Lynch disse: “Não podemos estar divididos. Não caiam nas armadilhas da mídia, tentando colocar uma enfermeira contra um trabalhador ferroviário. Tentando colocar um trabalhador da limpeza contra um entregador. É um absurdo absoluto. Somos um arco-íris que vem de todo o mundo. Todos que querem ganhar a vida são bem-vindos neste país. Ninguém é ilegal.”

Há uma crescente ação sindical: 11.000 trabalhadores da Rolls Royce e comitês de delegados sindicais da Unite rejeitam um pagamento único de £ 2.000 e o aumento de 4%; 700 membros dos três turnos do Unite de Bristol entoaram, na quinta-feira passada: “Oito ou a porta” (ou seja, aumento de 8% ou greve). A Bristol faz parte do grupo unificado de negociação coletiva que inclui outras seis bases da empresa. Em junho, os maquinistas de trens e bondes de Aslef fizeram greves em Hull, Greater Anglia e Croydon. No dia 28 de junho, as cédulas de voto serão enviadas aos membros do Royal Mail Group (empresa nacional de correios). Isso significa que o CWU terá votações ao vivo cobrindo mais de 165.000 membros.

O que pensam os membros do RMT?

Falamos com um guarda de trem na manifestação no sábado. Ele explicou que os guardas estão em disputa há anos em muitas áreas porque as empresas ferroviárias estão tentando eliminar esse posto de trabalho e aceitam apenas motoristas.

O que você acha da RMT e da situação no país?

“Acho que estamos vendo o início de uma agitação nacional sobre nossas condições. O esforço conjunto dos conservadores para sufocar a ação sindical também é o que a liderança do Partido Trabalhista está tentando fazer. Acho que estamos muito próximos de uma agitação civil; os impulsionadores disso são a desigualdade, a brecha evidente entre ricos e pobres que está aumentando constantemente. O governo está se preparando para distúrbios civis e a ação sindical ao aprovar muitas leis draconianas no Parlamento que retiram os direitos dos trabalhadores. Eles estão organizando uma guerra de classes contra o RMT e esperam quebrar os sindicatos”.

“A infelicidade dos trabalhadores está se espalhando nos locais de trabalho sindicalizados e não sindicalizados. Outro dia, quando Mick Lynch falou com a mídia, na primeira hora, houve um aumento de 184% no site do TUC sobre como eles podem se filiar a um sindicato. Isso fala sobre a fome em pessoas que querem algo melhor. Os sindicatos devem trabalhar juntos para obter o máximo impacto; também temos que coordenar nossos ataques. Concordo com a necessidade de o TUC coordenar as greves nacionais. As greves são inevitáveis, mas não se coordenam sozinhas. Temos que trabalhar para coordená-los. E isso terá um impacto muito mais abrangente.”

Qual é a sua preocupação com a segurança dos trens?

“Não sou trabalhador de manutenção, mas conheço muitos deles; em nossa base RMT. As propostas da empresa ferroviária implicam que será necessário reduzir a frequência de controles na via e em toda a infraestrutura existente. Não estamos brincando com brinquedos: os trens são muito perigosos. Sempre levamos a segurança muito a sério. Isso significa para guardas no trem ou manutenção na pista. É essencial para a segurança dos trens.”

“Alguém disse recentemente que agora poderia usar drones para verificar as vias, mas nunca vi um drone ajustando os trilhos. Suas propostas vão tornar o trabalho ferroviário inseguro e tornarão as viagens menos seguras para o público. Eles falam de uma correlação entre custo e segurança. Mas os representantes de saúde e segurança não podem comprometer a saúde e a segurança. Sobre a disputa entre os guardas, eles disseram que o custo supera os benefícios”.

“Mas não podemos comprometer a segurança no local de trabalho ou o público que viaja.”

Solidariedade internacional

Reproduzimos esta declaração: “As organizações que integram a Rede Sindical Internacional de Solidariedade e Luta [RSISL] e a Red Rail Without Borders apoiam a convocação de greve do RMT e os grevistas; divulgaremos este movimento nos nossos diferentes países. Solidariedade internacional dos trabalhadores!”[2].

A central sindical brasileira CSP Conlutas faz parte do RSISL. Uma das federações sindicais é a Fenametro, uma federação nacional dos trabalhadores do metrô. São nove sindicatos metroviários de cidades ou estados vinculados à Fenametro. A maior fica em São Paulo. Esta é a sua mensagem de solidariedade:

“Sou Narciso, Coordenador Geral do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Brasil. Quero enviar toda a minha solidariedade aos trabalhadores ferroviários da Grã-Bretanha. Vocês estão fazendo uma grande greve nacional, com fortes piquetes em muitas cidades. Podem contar com a solidariedade do Sindicato dos Trabalhadores do Metrô de São Paulo, bem como da central CSP-Conlutas. Estamos juntos nessa luta. Mantenham-se firmes em sua luta até que a vitória seja alcançada e parabéns pela incrível greve que vocês vem organizando. Conte conosco em solidariedade.”

Apoio total à greve e piquetes da RMT!

Que os sindicatos realizem ações nacionais de apoio à RMT!

Deixe o TUC organize uma conferência nacional para coordenar as greves e chamar uma greve geral!

[1] RMT é o sindicato que reúne todos os trabalhadores dos transportes, incluindo os ferroviários.

[2] laborsolidarity.org/Solidarity-with-the-Striking

Tradução: Lilian Enck

Confira nossos outros conteúdos

Artigos mais populares