Vie Jun 09, 2023
9 junio, 2023

Os trabalhadores de Bangladesh precisam de nossa solidariedade!

Em 26 de abril Bangladesh foi abalada pelo pior desastre industrial da história do país. O colapso das estruturas da praça Rana deixou um saldo de 350 mortos e quase mil feridos, muitos dos quais ainda estão presos nos escombros! 

Este desastre e o desastre na fábrica de roupas Tazreen, que precedeu ao desastre da praça Rana, evidenciaram a brutal exploração da mão de obra na indústria do vestuário, bem como os interesses políticos escusos por trás dessa exploração.

Mas os trabalhadores não estão calados! Eles se recusaram a continuar sendo vítimas desta exploração por mais tempo e foram à luta em uma greve geral, exigindo melhores condições de trabalho e salários decentes. A atual greve é de importância histórica na história da luta dos trabalhadores em Bangladesh e já conseguiu mobilizar a maioria dos 3 milhões de trabalhadores empregados nas 5.000 oficinas que dominam a indústria de vestuário.

Neste momento crítico, é indispensável darmos o todo o nosso apoio aos trabalhadores enquanto durar sua luta. Os trabalhadores da Índia, dos EUA, do Reino Unido e da França, especialmente devem estender  sua solidariedade aos trabalhadores explorados de Bangladesh.
 
Os capitalistas em qualquer lugar são os inimigos dos trabalhadores em todos os lugares!

As grandes multinacionais capitalistas (MNCs), que dominam as maiores economias do mundo são os protetores e beneficiários da indústria super-exploradora e feroz, tão predominante em Bangladesh. Os capitalistas da Índia têm desempenhado um papel fundamental na manutenção dos interesses políticos que protegem os patrões do vestuário, enquanto os capitalistas dos EUA e da Europa, em especial das grandes cadeias de varejo como a Wal Mart, que recebem seus produtos dessas fábricas exploradoras do "Terceiro Mundo", formam um vínculo econômico vital contribuindo para a super-exploração dos trabalhadores de lá.

Todos esses grandes interesses financeiros protegem-se mutuamente a fim de garantir a sustentação do sistema. A esta aliança, a classe trabalhadora deve contrapor a sua própria aliança! Uma aliança que seja forjada na solidariedade, na luta de classes e contra os saqueadores capitalistas! Para isso devemos trabalhar no sentido de construir uma ação conjunta em coordenação com os trabalhadores da indústria do vestuário em Bangladesh.

Táticas de apoio:

Como nossas primeiras táticas devemos dirigir nossa atenção visando o alívio imediato dos trabalhadores e suas famílias que foram vítimas do colapso do edifício. Podemos começar com uma petição contra o governo de Bangladesh ação exigindo que ações sejam tomadas contra os responsáveis por este colapso e pelo pagamento de indenizações a todas as famílias lesadas.

Em termos de solidariedade internacional, sugerimos aos trabalhadores dos EUA e do Reino Unido, os quais estão no final da cadeia de consumo, que estabeleçam comissões de investigação em suas próprias empresas para assegurar que não haja lucro a partir da exploração de trabalho semi-escravo e que os sindicatos façam um chamado pela condenção da exploração abusiva de mão de obra barata em Bangladesh.

Os trabalhadores na Índia têm uma posição estratégica nesse sentido, onde os seus próprios governantes capitalistas estão ativamente engajados em dar guarida ao regime político * (através de enormes empréstimos, proteção política e militar regular) e que incentiva essa exploração feroz através de exploração do trabalho semi-escravo. Um exemplo que podemos seguir foi aquele definido pelos protestos, por ocasião do massacre em Marikana na África, onde um comitê de solidariedade foi constituído por ativistas trabalhistas e outros ativistas democráticos.

Unidos nós lutaremos! Divididos nós falharemos!

Más contenido relacionado:

Artículos más leídos: