COMPARTILHAR

Sergei Malyshev estava entre os desempregados russos no período que antecede as revoluções russas de 1917. Sua voz e influência sobre os eventos eram considerados “mínimos”, mas quando lemos seu panfleto “Como os bolcheviques organizaram os desempregados”, vemos como os eventos reais foram afetados por seu discurso direto, entusiasta e confiante! E como podemos aprender lições da sua luta contra os líderes traiçoeiros em torno à Duma de São Petersburgo (câmara municipal).

Por: Chris McBride – ISL

O panfleto de Malyshev centra-se na luta contra a Duma em 1905-06.

Na Revolução de 1905, a luta da classe operária criou conselhos de operários (os sovietes), mas foi derrotada. Nos 11 a 12 anos seguintes, e na construção da Revolução de 1917, a luta na Duma incluiu bolcheviques e mencheviques.

Estes últimos eram um grupo maior na Duma, e ambos estavam no POSDR (Partido Operário Socialdemocrata Russo). Como “reformistas”, eles responderam às demandas dos desempregados com a política de “esperar até que a economia melhore” e “os contratos de trabalho (serviços públicos, manutenção, fábricas, etc.) não podem incluir mais trabalhadores”, “vivam das doações de caridade até que os mestres concordem em fornecer mais emprego”, e assim por diante.

Cem anos depois, em Manchester, temos uma situação semelhante em muitos aspectos. Temos um Conselho Trabalhista [câmara municipal com maioria trabalhista] com membros e apoiadores “à esquerda” que nos dizem a mesma coisa, como: “Você deve pagar seu imposto sobre a moradia e o quarto”[1] e “aceitar os cortes nos serviços porque precisamos estabelecer um orçamento legal”[2]. Isto prevalece apesar de Manchester ter realizado o maior protesto da história, uma manifestação contra a austeridade.

Enquanto isso, os líderes trabalhistas e sindicais ainda se recusam a lutar. Eles nos dizem para “esperar e facilitar as coisas” para um governo mais justo e imaginário. Para o Partido Trabalhista, a luta pelo planejamento socialista do NHS (Serviço Nacional de Saúde) e dos serviços públicos é sempre “agora não” e/ou “os trabalhadores não entendem e não vão lutar”.

Esses líderes e suas manipulações burocráticas são um obstáculo, fazem todo o esforço para impedir o surgimento entusiasta de uma luta porque tal luta ameaça a sua própria existência traidora.

Malyshev mostra claramente que a luta contra o governo também foi uma luta contra a liderança traidora do movimento operário.

Devido ao desemprego, inúmeras famílias de trabalhadores estão agora sem pão. Os trabalhadores não querem caridade nem doações. Nós exigimos trabalho. Os mestres se recusam a nos dar trabalho. Eles dizem que não têm contratos. Mas a cidade tem contratos e pode fornecer trabalho para os desempregados. A forma como a cidade dispõe dos fundos públicos é escandalosa.

Os fundos públicos devem ser usados ​​para as necessidades públicas e nossa necessidade hoje é trabalhar. Portanto, exigimos que a Duma municipal organize o trabalho público para todos os necessitados.

Exigimos não caridade, mas nossos direitos e não ficaremos satisfeitos com a caridade. O trabalho público que exigimos deve ser iniciado imediatamente. Todos os desempregados de São Petersburgo devem ser capazes de fazer este trabalho: todo trabalhador desempregado deve receber um salário adequado. Fomos eleitos para exigir o cumprimento de nossas demandas. As massas que nos enviaram não ficarão satisfeitas com menos. Se você não atender às nossas demandas, vamos relatar a sua recusa aos desempregados e, em seguida, você não vai ter que lidar com uma delegação eleita, mas com aqueles que nos enviaram, as massas dos desempregados.

Hoje a demanda é a mesma: por um programa de obras públicas sob o controle dos trabalhadores; trabalho digno, não caridade; salários e condições de trabalho decentes; e fim dos contratos de zero-hora[3].

 

Notas

[1] O Bedroom Tax, instituído pelo governo Conservador/Liberal anterior, mas com apoio do Partido Trabalhista, cobra um imposto por cada quarto “não utilizado” pelas famílias que vivem em “social houses”, isto é, casas com subsídio no aluguel. Este imposto sofre um repúdio generalizado na Inglaterra.

[2] Orçamento legal: orçamento nas leis vigentes, semelhantes à Lei de Responsabilidade Fiscal no Brasil.

[3] Contratos de zero-hora: contratos de trabalho precarizado, sem nenhum direito trabalhista.

Publicado em Socialist Voice no 26, fev-mar/2017

Tradução: Marcos Margarido