COMPARTILHAR

Metalúrgicos, transportes e educação básica já definiram que vão parar em todo o país

Em todo o país, trabalhadores de diversas categorias se organizam e preparam um grande dia de greve geral em 28 de abril, data definida pelas centrais sindicais como um dia de greve contra as reformas da Previdência e trabalhista e as terceirizações.

Por: PSTU – Brasil

Metalúrgicos, trabalhadores dos transportes e da educação básica já definiram parar em todo o país. Além desses, demais docentes, como os das universidades públicas, servidores públicos, operários da construção civil e o movimento popular devem estar na linha de frente das paralisações e mobilizações que tomarão o país.

Por baixo, fervilha um verdadeiro clima de greve geral ao mesmo tempo em que aumenta a indignação contra o governo Temer e seus ataques. Panfletos e jornais anunciando a greve geral esgotam-se em pouco tempo, como o Opinião Socialista e o boletim nacional do PSTU, cuja tiragem de 300 mil acabou em pouco mais de uma semana.

Vamos parar: Categorias se organizam e aprovam participação no 28 de Abril

Os metalúrgicos saíram na frente da preparação do dia 28 com uma reunião em 31 de março, quando representantes da CSP-Conlutas, da CUT, da Força Sindical e da Intersindical debateram o impacto das reformas e decidiram, por consenso, participar com peso do dia de greve geral. “Houve consenso que a categoria de metalúrgicos tem muito peso para as paralisações e que será decisiva para o dia 28 de abril”, afirma o dirigente da CSP-Conlutas, Luiz Carlos Prates, o Mancha.

Em São José dos Campos (SP), os metalúrgicos estão aprovando em cada fábrica a adesão ao dia 28. Enquanto fechávamos esta edição, ocorriam assembleias na General

Motors e na Embraer. As assembleias já reuniram, ao todo, sete mil operários. Também estava sendo preparada uma grande plenária com os sindicatos e os movimentos populares para a organização conjunta do dia.

Já os trabalhadores dos transportes realizaram uma plenária nacional no dia 10 de abril que reuniu 100 entidades e reafirmou a disposição de parar no dia 28. A reunião ocorreu em São Paulo, na sede da Nova Central, e contou com a participação de sindicatos, federações e confederações do setor de transportes de São Paulo, Belo Horizonte, Bahia, Paraná e Rio de Janeiro. Participaram aeroviários, aeroportuários, rodoviários, ferroviários, metroviários, além de condutores de carga.

Operários da construção civil de cidades como Belém e Fortaleza também se mobilizam e preparam um grande dia de paralisação. “Estamos debatendo com os operários e votando de obra em obra parar no dia 28”, conta Cleber Rabelo, dirigente do PSTU e da categoria no Pará. “O movimento popular, como a ocupação Carlos Lamarca no Outeiro e o Davi Silva no Capanã, devem vir para o dia 28”, completa. Os operários de Fortaleza também votam a greve em cada canteiro de obra.

Braços dados: Movimento Popular e desempregados também aderem

Além das categorias organizadas, o movimento popular também prepara uma forte mobilização no dia 28 de abril. Ocupações dirigidas pelo movimento Luta Popular, como as ocupações Esperança e Jardim União, devem realizar manifestações e se unirem aos demais setores.

No Rio de Janeiro, o Movimento SOS Emprego, que reúne trabalhadores desempregados de vários setores, como operários do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e dos estaleiros fechados, teve participação de impacto no dia 15 de março e promete repetir a dose em abril. “No dia 15, paramos a ponte Rio-Niterói e a BR 101, que parou Niterói e Itaboraí, e agora, no dia 28, vamos parar também um importante ponto do Rio”, diz José Rei Leão, soldador demitido do Comperj e militante do PSTU.

Esquenta: Mais de três mil no ABC contra a reforma da Previdência e a terceirização

No dia 8 de abril, mais de três mil trabalhadores foram às ruas na cidade operária de São Bernardo do Campo (ABC) contra a reforma da Previdência e o projeto da terceirização. A manifestação foi convocada pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e pela CSP-Conlutas, além de outras centrais, como preparativo para o dia 28, e contou com grande apoio da população.