Boletim Eletrônico




O site da LIT-QI apresenta esta edição especial como homenagem a Leon Trotsky, aos 70 anos desde o seu assassinato. Incluímos alguns dos seus textos e outros de vários autores.
 
Nos escritos do próprio Trotsky, Bolchevismo e stalinismo (1938), há uma aguda análise das profundas diferenças sociais que estavam na raiz da batalha mortal entre estas duas tendências políticas: a primeira expressava a vanguarda operária revolucionária, a segunda os interesses materiais da burocracia que havia usurpado o poder na URSS. O Programa de Transição (1938) serviu como base programática fundacional da IV Internacional, nesse mesmo ano. Finalmente, o Testamento foi escrito em Fevereiro de 1940, quando Trotsky já antecipava que a sua morte estava próxima, seja pelos seus problemas de saúde ou assassinado por ordem de Stalin. Neste curto texto faz uma reivindicação da sua extensa trajetória revolucionária e expressa a sua profunda confiança na classe operária, no marxismo e nas perspectivas da revolução socialista.
 
Dentro dos trabalhos de outros autores, destacamos, em primeiro lugar, o artigo de Joe Hansen (dirigente do SWP norte-americano que trabalhou como secretário de Trotsky, em Coyoacán), dedicado a refletir os últimos dias de vida do grande revolucionário russo. Em segundo lugar, um trecho da entrevista com Nahuel Moreno (fundador da LIT-QI), realizada em 1985, que foi publicado, pela primeira vez, em 1988, com o título Ser trotskista hoje. Nele, Moreno sintetiza esta definição em algumas questões centrais: defender os princípios do marxismo e do socialismo, defender a necessidade de uma revolução socialista internacional, a defesa da democracia operária e a necessidade imperiosa de construir uma organização revolucionária internacional, a IV Internacional.

Comunistas revolucionários hoje, isto é trotskistas!
Ocorreu em Rimini, de 10 a 12 de setembro, o seminário sobre a atualidade do trotskismo, organizada pelo Partido da Alternativa Comunista em colaboração com as demais seções européias da Liga Internacional dos Trabalhadores - Quarta Internacional.
Leia mais...
 
Ser trotsquista hoje
Comecemos por entender o que significa ser verdadeiramente marxista. Não podemos fazer um culto, como se fez de Mao ou de Stalin. Ser trotskista hoje não significa estar de acordo com tudo aquilo que escreveu ou o que disse Trotsky, mas sim saber fazer-lhe críticas ou superá-lo, como a Marx, a Engels ou Lenin, porque o marxismo pretende ser científico e a ciência ensina que não há verdades absolutas. Em primeiro lugar, ser trotskista é ser crítico, inclusive ao próprio trotskismo.
Leia mais...
 
Aos 70 anos de seu assassinato: Continuar a batalha de Trotsky é reconstruir a IV Internacional
Leia mais...
 
Trotsky e a Itália de 1920
Leia mais...
 
Linha do tempo – cronologia da vida de Trotsky
Leia mais...
 
O Testamento de Leon Trotsky

Leia mais...
 
A construção da IV Internacional “é o trabalho mais importante da minha vida”
Leia mais...
 
Stalinismo e Bolchevismo
Leia mais...
 
Os 70 anos da Quarta Internacional
Leia mais...
 
Linha do tempo da vida de Trotsky em gráfico

Leia mais...
 
Bolchevismo e stalinismo: um velho debate
Leia mais...
 
<< Início < Anterior 1 2 Próximo > Fim >>

Página 1 de 2