Boletim Eletrônico



Notícias - Paraguai
Unidade das Centrais Sindicais no Paraguai Imprimir E-mail
Escrito por PT - Paraguai   
Sex, 04 de Outubro de 2013 02:01
Mobilização para exigir o reajuste salarial e rejeitar as leis que atentam contra os interesses da classe trabalhadora e do povo!

A Confederação Paraguaia de Trabalhadores (CPT), a Confederação Geral de Trabalhadores (CGT), a Central Unitária de Trabalhadores (CUT), a Confederação da Classe Trabalhadora (CCT) e a Central Sindical de Trabalhadores do Paraguai (CESITP) dirigem-se a todas e a todos os trabalhadores do país e à opinião pública em geral para expressar a sua preocupação pelo aprofundamento do modelo neoliberal que quer impor o novo governo, modelo que é sinônimo de precarização e super-exploração laboral, de perda de direitos dos trabalhadores, e da entrega do patrimônio do Estado e da soberania nacional.
 
A atual conjuntura coloca-nos perante uma situação preocupante. O aprofundamento do modelo neoliberal põe em perigo não só os interesses da classe trabalhadora: põe em risco também o património do Estado e a soberania nacional. A manter-se esta dinâmica, estaremos assistindo a um significativo retrocesso na história de luta do povo trabalhador que dia a dia peleja pela sua dignificação.

Reajuste salarial para recuperar o poder de compra!

Todos sabemos que o salário dos trabalhadores paraguaios tem uma perda histórica do valor aquisitivo que ronda os 35 a 40%. Com os últimos anúncios de aumentos do combustível, do gás, dos bilhetes de transporte, dos panificados, etc., esta defasagem irá crescer a cada dia. À desvalorização salarial soma-se o aprofundamento da política de flexibilização e precarização das condições de trabalho e, como se isto fosse pouco, diante dos protestos a patronal e o Governo respondem com a criminalização das lutas como é o caso dos professores e dos motoristas da linha 30.

Os trabalhadores do Estado suportam ainda outra situação, que também desvalorizou de maneira indireta 33% dos seus salários – referimo-nos ao aumento da carga horária (de 6 para 8 horas) sem o correspondente aumento salarial.

Não à Lei de “Responsabilidade Fiscal”

A aprovação da lei de “Responsabilidade Fiscal” não é outra coisa que o corte drástico de todos os avanços destinados a melhorar a qualidade de vida da população, de modo a não cobrar impostos aos plantadores de soja, aos ganadeiros, aos proprietários das telefônicas, etc. Faz parte da política de “austeridade” para os pobres e da “via livre” para os empresários que continuam a enriquecer.

Com esta lei pretende-se congelar os salários dos servidores públicos e fazer retroceder as conquistas obtidas através dos Contratos Coletivos. A partir desta lei, os reajustes salariais dependerão do aumento do salário mínimo, medida que de imediato seria aplicada, no caso de aprovação. É por isso que todos os trabalhadores devem lutar para derrotar esta lei.

Opomo-nos à Lei de Participação Pública Privada

Recusamos esta Lei porque a sua vigência representará a entrega de patrimônio nacional (aeroportos, estradas, hidrovias, novos projetos hidroelétricos, ferrovias, INC[1], água, energia, penitenciárias, Saúde, entre outros) às grandes empresas transnacionais que explorarão estas vantagens e enviarão os seus ganhos milionários para os bancos estrangeiros.

Supostamente será uma “aliança público-privada”, ainda que todos os riscos sejam assumidos pelo Estado e para os investidores privados não exista nenhum risco, somente lucros. A lei planeja entregar todo o poder de decisão exclusivamente ao Executivo.

Este modelo já foi aplicado em outros países e só trouxe o aumento de preços para os usurários, precarização e má qualidade de todos os serviços. O fracasso desses planos foi admitido inclusive pelo Banco Mundial. No nosso país também temos exemplos de concessão ao setor privado: encarecimento da via “Tapé Porá” e do serviço de estacionamento no aeroporto, o péssimo serviço de transporte, etc.

Unidade de Ação para combater o modelo neoliberal do Governo

Perante a ofensiva do Governo e a agudização dos planos neoliberais, a direção e o movimento sindical no seu conjunto deparam-se com o grande desafio de resistir e lutar até derrotar estes planos, considerando que hoje, mais do que nunca, se impõe a necessidade de Unidade de Ação entre todas as organizações sindicais e sociais do nosso país.

Por um reajuste salarial para os setores público e privado que recupere o valor dos salários!

Não às leis da “Responsabilidade Fiscal” e da “Participação Público-Privada”!

Pela regularização da remuneração salarial a todos os trabalhadores do Estado! Não às demissões!

Uma solução imediata para os companheiros da linha 30! Não aos descontos salariais para os professores!

Assunção, 26 de setembro de 2013

Confederação Paraguaia de Trabalhadores (CPT)
Francisco Brítez (Presidente)
 
Central Geral de Trabalhadores (CGT)
Sonia Leguizamón (Presidenta)
 
Central Unitária de Trabalhadores (CUT)
Jorge Alvarenga (Presidente)
 
Confederação da Classe Trabalhadora (CCT)
Julio López (Presidente)
 
Central Sindical de Trabalhadores do Paraguai (CESITP)
Reinaldo Barreto Medina (Presidente)
 
Tradução: Miguel Almeida


[1] Industria Nacional del Cemento (N. do T.)
 
Mais uma traição de Lugo Imprimir E-mail
Escrito por PT - Paraguai   
Qui, 27 de Junho de 2013 01:23
A Frente Guasu, sob a batuta de Lugo, porém com a partitura de Cartes e o Partido Colorado, continua seu caminho à adaptação ao regime político das classes dominantes.
Leia mais...
 
“O Parlamento tem que ser destruído” Imprimir E-mail
Escrito por Entrevista publicada no jornal ABC Color do Paraguai.   
Qua, 20 de Março de 2013 23:25
Em entrevista para a ABC Color, o candidato a presidente da República pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Eduardo ‘Coco’ Arce, afirmou que o Parlamento nacional ‘tem que ser destruído’ e uma Assembleia Nacional Constituinte deve ser convocada.
 
“Esse Parlamento tem que ser destruído. É essa a palavra: destruído. Não serve para nada mais a não ser delinquir”, assinalou Arce durante uma visita a este jornal onde habilitou um blog para interagir com os internautas e eleitores nas próximas eleições de 21 de abril de 2013.
 
Arce pertence ao Partido do os Trabalhadores, um ‘partido socialista revolucionário’, segundo definiu. O representante da esquerda propõe uma mudança radical do sistema governamental paraguaio.
 
“Somos um partido socialista. Um partido socialista revolucionário, não um partido socialdemocrata que também é um partido socialista, mas sem romper com o capitalismo. Nós pensamos que o capitalismo já não pode dar saída à crise; não apenas que não pode dar saída. Sob o capitalismo não há solução. Há uma saída à crise sim e é uma saída socialista, pelo socialismo revolucionário, com a liquidação do capitalismo que já está em sua fase final, basta apenas empurrá-lo”, opinou Arce, um jornalista por mais de 25 anos que defende uma proposta centrada na esquerda.
 
O candidato pelo PT disse que seus eixos de governo e a proposta que apresenta baseiam-se em: trabalho, terra e soberania.
 
Trabalho
 

“Estes três pontos são básicos e fundamentais: o povo não tem trabalho. E se tem trabalho é precarizado (…). Todos os trabalhadores e camponeses devem ter direito à aposentadoria. O Estado tem que pagar aposentadoria a todos. Isso pode ser feito mudando o modelo”, Arce afirmou.
 
Terra
 
“A questão da terra refere-se à reforma agrária; todos, desde o Partido Colorado com Stroessner, Lugo, e hoje os liberais; não propõem em nenhuma parte de seu programa um avanço real em relação à reforma agrária. A reforma agrária pode ser feita unicamente com a expropriação dos latifundiários, das terras griladas, de tudo o que se roubou por parte dos que têm governado até hoje, especialmente Stroessner, especialmente o Partido Colorado e as Forças Armadas”, indicou.
 
Soberania
 
“O outro tema é o tema da soberania, que estamos perdendo a passos gigantes; a soberania territorial, energética, econômica, política, tudo se perde porque temos governantes que se ajoelham ao capital internacional e ao imperialismo mundial, ao pôr toda a economia a seu serviço”, comentou o candidato.
 
Rio Tinto e sementes geneticamente modificadas
 
“Opomo-nos tenazmente ao tema da Rio Tinto. A questão das sementes transgênicas também nos opomos tenazmente. Não às novas tecnologias, mas acontece que as novas tecnologias não estão ao serviço do ser humano, as novas tecnologias estão ao serviço do capital. A questão das sementes transgênicas é categórica, quem se beneficia com isso? O produtor não se beneficia. Beneficia-se, como sempre, o golpista Franco, a Monsanto, a ADM e as multinacionais que têm as sementes. Há estudos independentes que comprovam que os transgênicos são nocivos à saúde”, disse Arce.
 
Por outro lado, o candidato também se mostrou favorável ao pagamento de impostos pelos agricultores de soja e a um Congresso unicameral.
 
O Partido dos Trabalhadores realiza eleições internas Imprimir E-mail
Escrito por PT - Paraguai   
Dom, 13 de Janeiro de 2013 18:08
O Partido dos Trabalhadores (PT) realizou na manhã de domingo, 6 de janeiro, suas eleições internas para formalizar as candidaturas a presidência e vicepresidência da República; ao Senado, à Câmara dos Deputados e Junta Departamental de vários departamentos
Leia mais...
 
Ruptura da Frente Guasu: oportunidade para a esquerda recuperar sua identidade Imprimir E-mail
Sex, 26 de Outubro de 2012 17:42
A Frente Guasu [Frente Ampla] conformou-se como um agrupamento de partidos e movimentos de esquerda, da socialdemocracia e da centro-direita, em março de 2010, para apresentar-se como opção eleitoral. Dois anos e meio depois, a questão eleitoral partiu-a ao meio.
Leia mais...
 
Pronunciamento da Confederação da Classe Trabalhadora Imprimir E-mail
Escrito por Blanca Roa e Julio López*   
Seg, 16 de Julho de 2012 01:28
 
 O governo de Frederico Franco é fruto de um golpe parlamentar e implementará politicas neoliberais que atacarão a classe trabalhadora e o povo, por isso, a CCT terá uma postura de firme oposição.
Leia mais...
 
Cartes ganhou; quem perde é o povo trabalhador Imprimir E-mail
Escrito por PT - Paraguai   
Seg, 06 de Maio de 2013 01:42
O período eleitoral terminou. Horacio Cartes, do Partido Colorado, será o próximo presidente. Afirmamos categoricamente que será um verdadeiro flagelo para o sofrido povo trabalhador. Cartes e o Partido Colorado aplicarão as receitas do Fundo Monetário
Leia mais...
 
“Se não mudamos tudo, não mudamos nada” Imprimir E-mail
Escrito por Miguel Méndez Pereira   
Qui, 14 de Fevereiro de 2013 16:18
O candidato presidencial nas eleições de 2013 pelo trotskista Partido dos Trabalhadores (PT), Eduardo “Coco” Arce, é conhecido como jornalista, como lutador contra a ditadura de Stroessner-ANR e FFAA - durante a qual esteve preso por um ano na prisão de Emboscada - e como dirigente sindical.
Leia mais...
 
Stroessner nunca mais. Não à reivindicação da ditadura Imprimir E-mail
Escrito por PT - Paraguai   
Qua, 05 de Dezembro de 2012 20:11
O Partido de los Trabajadores (PT), expressa sua mais profunda indignação pela tentativa de repatriar os restos mortais do ditador Alfredo Stroessner e seu repudio pela reivindicação que fazem da ditadura os familiares e amigos do genocida ditador.
Leia mais...
 
Nenhum dinheiro aos golpistas e aos funcionários fantasmas! Imprimir E-mail
Escrito por PT-Paraguai   
Qua, 22 de Agosto de 2012 10:37
O Partido dos Trabalhadores (PT) repudia o pedido de aumento de 70 bilhões de guaranis (cerca de 32 milhões de reais) no orçamento do Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE), que servirá para contratar a 10.000 operadores políticos até dezembro.
Leia mais...
 
Por que o golpe parlamentar e por que tão vertiginoso? Imprimir E-mail
Qui, 12 de Julho de 2012 01:29
As causas do golpe parlamentar devem ser buscadas em motivações políticas de classe ou setores de classe e interesses econômicos da burguesia de nosso país.
Leia mais...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Próximo > Fim >>

Página 1 de 9